.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

sábado, 7 de março de 2015

RESENHA #4: CINQUENTA TONS DE CINZA


Ficha Técnica

Título Nacional: Cinquenta Tons de Cinza
Título Original: Fifty Shades of Grey
Lançamento: 12 de Fevereiro de 2015 (2h05min)
Dirigido por: Sam Taylor-Johnson
Com: Jamie Dornan, Dakota Johnson, Jennifer Ehle
Nacionalidade: EUA
Gênero: Erótico, Drama, Romance







Sinopse

Anastasia Steele (Dakota Johnson) é uma estudante de literatura de 21 anos, recatada e virgem. Um dia ela
deve entrevistar para o jornal da faculdade o poderoso magnata Christian Grey (Jamie Dornan). Nasce uma complexa relação entre ambos: com a descoberta amorosa e sexual, Anastasia conhece os prazeres do sadomasoquismo, tornando-se o objeto de submissão do sádico Grey.


Trailer



Opinião

Preciso começar dizendo que li os dois primeiros livros da trilogia, emprestados de uma amiga, e realmente não me prenderam, pois a escrita para mim foi fraca e aquela "deusa interior" da Anastasia, que convenhamos é bem desinteressante, me irritaram. Mas (me julguem!) gostei bastante do filme, e explicarei por quais motivos. 
Ao passar a narrativa para terceira pessoa, ao invés de visualizar somente o que a Anastasia narra, temos uma visão mais ampla da história. Como já mencionado, a "deusa interior" some, gerando muito ganho para a história. Dakota Johnson consegue fazer uma Ana mais descontraída, bem humorada e não tão desastrada. Claro que a cena do tropeço logo no começo não poderia faltar, remetendo a Crepúsculo. Não podemos esquecer que é uma fanfic baseada na série da Stephanie Meyer.
O Christian não ficou parecido ao que eu havia imaginado, mas até que ele conseguiu passar o básico da personalidade da personagem. O bom é que aquela coisa totalmente controladora e doentia do livro ficou praticamente perdida, mas ele continuou enchendo Ana de "brinquedinhos" caros. Ao mesmo tempo, não me passou a impressão de que ele queria comprá-la, só agradá-la. Infelizmente, Grey ficou um pouco contraditório, já que em uma cena dizia que não curtia romance, mas na próxima estava de mãos dadas com a Ana ou abria uma exceção no contrato, para que uma vez por semana agissem como namorados, saindo para o cinema etc (fato esse que só faz parte do filme).
Não posso deixar de mencionar que a história é bem superficial no quesito romance, ao contrário do que leio muito por aí. O pessoal tende a crer que se trata prioritariamente de um romance, até porque teve seu lançamento no Valentine's Day (Dia dos Namorados), auxiliando a passar essa visão equivocada. A série nos mostra um homem com traumas profundos e que viu no BDSM uma forma de se libertar de todos os seus fantasmas. E, obviamente, não pude deixar de me colocar na pele de Ana, como creio que a maioria fez/faria, deslumbrada pela riqueza e poder que o Sr. Grey emana, além de abrir novos horizontes para ela. Assim fica bem mais fácil de se apaixonar, não concordam?
De um modo geral, eles conseguiram retirar o melhor (ou até inexistente) conteúdo do livro e passá-lo para filme, sem ser pesado. Contudo, não darei nota máxima pois, para mim, ainda foi conservador por só mostrar a nudez praticamente total da mulher, e o homem só de costas ou da cintura para cima (esperado já por se tratar de Hollywood, que não gosta de quebrar tabus). Além disso, muitas cenas acabavam rápido demais, sem ter uma conexão tão direta e imediata com a próxima.
Não chega a ser um pornô leve, e sim um erótico leve. Imagino que serviu como uma boa introdução à história e que tende a melhorar nos próximos, com os atores mais relaxados e incorporados nas personagens. Ah, a trilha sonora ficou um espetáculo, amei! Dispam-se de preconceitos e "O Sr. Grey irá recebê-la agora".











Nota 




Postado por



Nenhum comentário :

Postar um comentário