.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

domingo, 19 de julho de 2015

TEMA #3: LITERATURA EM MOVIMENTO

Historiadores queridos, boa tarde!

O tema do Projeto Literatura em Movimento me deixou muito contente, pois assim que bati os olhos, soube o que precisava dizer. Ah, lembre-se do que se trata o projeto, clicando aqui ou aqui.

Mas, antes de mais nada, conheçam o tema deste mês.


Isso mesmo, o tema será sobre aquilo que está preso dentro de nós, que você quer e precisa botar para fora. Algo que você deseja falar para fazer as outras pessoas refletirem. Pode ser qualquer assunto, por exemplo: homofobia, preconceito, algo que você não concorda ou até mesmo algo que você concorda mas as outras pessoas discordam. Pode ser, inclusive, algo pessoal que você precisa botar para fora de alguma maneira, desabafar.


Bem, como o tema ficou em aberto e abrangente, decidi que queria muito abrir meu coração sobre uma decisão que tomei há cerca de 12 anos e da qual não me arrependo.

Um dia, eu estava assistindo TV com minha família, o programa “Late Show”, da Luisa Mell, conhecida protetora de animais. E um vídeo passado, mesmo sem som, me pegou totalmente desprevenida. Tratava-se de guaxinins tendo suas peles arrancadas ainda vivos, e não bastasse o sofrimento já causado por isso, ainda eram maltratados, sendo batidos no chão, tendo as patas arrancadas a machadada...Olha, terrível.

Saí da sala chorando copiosamente e, naquele momento, decidi: não comeria mais carne vermelha nem frango. Aparentemente, uma coisa não tem nada a ver com a outra, pois alguns animais são mortos para o fim de alimentação e outros por um luxo estúpido e desnecessário. Mas sabe o que todos os casos tem em comum? O sofrimento!

Claro que meus pais não acreditaram em mim, mas me mantive firme desde aquele dia e, uns seis meses depois, meus pais também aderiram a esse estilo de vida. Continuamos, contudo, com peixe e frutos do mar.  

Com o passar dos anos, encontrei inúmeros motivos que corroboraram minha decisão. Resumidamente:

- Carne possui hormônios (como o de crescimento) que são prejudiciais à nossa saúde, causando cânceres, inclusive;

- A água utilizada para a produção de 1 kg de carne é extremamente elevada. Se todos no planeta fossem vegetarianos e houvesse distribuição igualitária de comida, ninguém passaria fome;

- Nada de bom pode sair advindo do sofrimento de uma criatura. As energias ruins impregnadas na carne são muitas (e não estou falando isso baseada em nenhuma religião);

- Você come um cadáver, e isso por si só já não é agradável de pensar;

- Por último, mas não menos importante: não existe abate humanizado, como muitos carnívoros pregam. Eles são maltratados em vida, então o que faz alguém acreditar que serão bem tratados na hora da morte? E como seria um abate humanizado? Fazer carinho enquanto enfia uma faca no coração, corta a garganta, dá uma marretada na cabeça? Não, né?

Há um ano, decidi parar também com peixes e frutos do mar e agora minha meta é eliminar derivados de leite e ovos, pois a indústria da carne está diretamente ligada com essas duas. Além disso, tento consumir produtos que não tenham nada de origem animal e que não foram testados em animais, mas até isso é difícil, pois não temos nenhum selo que comprove esses fatores.

Meu estilo de vida já fez com que ao menos 4 pessoas aderissem ao vegetarianismo, e isso faz com que eu sinta estar trabalhando em prol dos animais e mantendo meus ideais em pé, mesmo sendo tão difícil ser vegetariano no Brasil. Mais difícil ainda é ser vegano, mas sei que conseguirei!

Sim, eu ouvi muitas piadas e ainda ouço, mas agora não ligo mais. O importante é eu me sentir bem comigo mesma e saber que estou fazendo a diferença no meu âmbito de atuação.

Se você leu até aqui, gostaria de deixar ao menos duas reflexões:

Para quem acredita...Se Deus criou todo o planeta, então ele também criou os animais. Por qual motivo Ele daria privilégios para uma única espécie, em detrimento de outras? Somos todos criação dEle, e todos merecem respeito e têm direito à vida. O ser humano é só mais um, não é melhor nem pior do que ninguém. Costumo dizer que até vírus e bactérias nos matam, então todos os animais estão aqui por um motivo e não temos o direito de nos acharmos superiores.

Por que o ser humano tende a proteger alguns animais em detrimento de outros? O especismo é muito comum. Ficamos chocados quando vemos que os chineses comem carne de cachorro, mas a maioria não se importa nem um pouco de fazer aquele churrasco com a carne de vaca, porco e galinha. Por quê? A dor é a mesma!

Vamos cultivar mais amor no mundo, começando por aqueles que não têm voz própria! Vamos amar e proteger todos os animais, sem apontar o dedo selecionando qual deve ou não morrer. A Terra é para todos, e se cuidarmos com carinho do que ela nos provê, é isso que teremos em retorno. Comecemos a mudança dentro de nós mesmos!

Obrigada por ler e, caso concorde, compartilhe a ideia!

Deixe também seu comentário!

Beijos.


Postado por





6 comentários :

  1. Amanda, realmente esse é um conceito interessante, eu não tenho uma opinião sobre assunto, mas tenho que concordar que muitos casos são
    muito cruéis e as vezes tenho reações bem parecidas.
    Amantes de Jane Austen

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo seu comentário, Angélica!
      A ideia é fazer as pessoas analisarem a situação, um pouco, ao menos do meu ponto de vista. Sei que muita gente não concordará, mas se uma ou outra se sensibilizar e talvez repensar seus hábitos, já sentirei como um dever cumprido.
      Beijos.

      Excluir
  2. Achei muito bacana seu texto, faz tempo que tenho pensado nisso, mas eu ainda não consegui me desligar totalmente da carne, um dia eu chego lá

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Mônica!
      Só de pensar já é um passo muito importante, pois é o começo da mudança.
      Tem um método, inclusive adotado pelo Fábio Porchat, da segunda-feira sem carne. A ideia é começar aos poucos e ir aumentando os dias sem, até chegar o dia em que não comerá mais. Se tiver mesmo intenção, talvez possa testar dessa forma.
      Beijos.

      Excluir
  3. Oi, Amanda!
    Eu sou uma pessoa que busca ajudar no direito dos animais sempre que me é possível. Infelizmente, ainda não consegui me desapegar completamente da alimentação de carne vermelha, mas diminui consideravelmente. Frutos do mar, nem como mais. Apesar de ser cientista, faço muita questão de acompanhar todos os procedimentos da universidade na questão de bioética em pesquisa animal. A universidade é muito rigorosa. infelizmente não são todos os lugares que tem essa preocupação.
    Parabéns pelo texto!
    Até + ver! Nu.
    As 1001 Nuccias | Curtiu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nuccia!
      Primeiramente, obrigada pelo comentário.
      Bem, a pesquisa animal já é um outro tema polêmico...eu acredito que falte respeito e amor aos animais, e sei que há alternativas, mas é um "negócio" rentável, como em tudo, o dinheiro manda.
      Mas chegará o dia em que os seres humanos terão a mesma opinião acerca disso, é pelo que rezo e torço.
      Beijos.

      Excluir