.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

sábado, 8 de agosto de 2015

RESENHA #13: DEMOLIDOR 1X3: CAMUFLAGEM


Boa noite, Historiadores!

Vamos ao terceiro episódio de Demolidor, muitas coisas estão para acontecer.
Lembrando que contém SPOILERS para quem ainda não assistiu.


De início, estamos em uma pista de boliche onde um homem, com dois seguranças, joga solitariamente. Aparece a figura de um rapaz, Healy, e então ele os aborda e após um pancadaria com direito a sangue e fratura exposta, o homem é assassinado. O rapaz é preso e exige um advogado, que já sabemos quem será.



Em paralelo, vemos uma conversa no cais de Benny Urich, um jornalista em busca de informações, e um antigo criminoso. Ele busca fontes sobre algo, ou alguém, que tem perturbado recentemente aos russos e outros do submundo do crime, mas nada consegue. Quer saber notícias sobre a realidade e crimes, mas enfrenta uma crise de seu jornal, onde essas notícias não são atrativas, e se vê obrigado por seu chefe a trabalhar em assuntos frívolos.


Matt e Fogg são procurados e contratados por um homem que diz ser representante da Confederated Global Investments, e que busca novos talentos para seus casos locais em Hell's Kitchen (bairro de alta criminalidade e onde se passa a série). Com isso eles estão à frente do caso em defesa do Healy, que se mostra bem frio e calmo em relação ao caso e parece esconder algo mais de suspeito, e lembrem que o Matt pode identificar quando estão mentindo, ou seja, ele está ciente que algo está errado em toda essa situação.



A Page também está agindo, ela se encontra em um escritório da empresa em que trabalhou e que supostamente foi reformulada após as denúncias no episódio 1 e atende pelo nome de Union Allied. Fazem uma oferta de uma nova oportunidade para ela, e com isso querem que ela mantenha sigilo e discrição.


Começam as sessões de julgamento de Healy, Matt, com sua aguçada audição, percebe algo errado com uma mulher que faz parte dos jurados. Seguindo a jurada, um capanga a coage, mas ele é surpreendido pelo Demolidor que sai das sombras e o obriga a contar o que sabe, e também consegue com que a jurada seja liberada do julgamento, é a vantagem de ser um “super” advogado. Ele faz um interessante argumento final no julgamento, que a questão moral do bom e mau não cabe ao tribunal, ali no júri devem ser julgados unicamente os fatos. Achei interessante, por de certa forma parecer ser um reflexo de seus pensamentos que justificam os métodos que o Demolidor utiliza como justiça.



Em uma conversa do homem misterioso que contratou Matt e Fogg com um senhor (que parece ser algum chefe de alguma organização), ficamos sabendo que tudo, desde o caso com a Page, está interligado ao empregador deste homem que os contratou. Enquanto isso, a Page procura o jornalista Ben para ajudar a divulgar o que sabe sobre o caso da Union Allied.


Sai o resultado do julgamento, mas estão divididos e não chegam a uma conclusão. Na saída do tribunal, o Demolidor embosca o Healy para tirar informações a respeito do empregador que os contratou. Após uma ótima sessão de luta entre os dois, ele consegue o nome de Wilson Fisk (quem acompanha o herói das HQs já conhece esse nome) . Mas após falar o nome de Fisk, Healy entra em pânico por medo da retalhação que sofrerá para servir de exemplo, e nessa hora temos uma cena que me fez pular da cadeira: Healy se mata de forma bem forte (pouparei detalhes, para quando forem assistir). 
Para finalizar o episódio, em visita à uma amostra de arte, temos a aparição rápida do então Wilson Fisk, o Rei do Crime.


Postado por

Nenhum comentário :

Postar um comentário