.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

domingo, 11 de outubro de 2015

RESENHA #44: TEMPORADA DE SEGREDOS, DE SALLY NICHOLLS

Ficha Técnica

Título Nacional: Temporada de Segredos (Skoob)
Título Original: Seasons of Secrets (Goodreads)
Autora: Sally Nicholls
Editora: Geração Editorial
Ano: 2014
ISBN: 97885 81302355
Páginas: 244
Formato: 14,2 X 21,6 cm
Acabamento: Brochura
Gênero: Drama, Fantasia, Aventura





Sinopse

Após a morte de sua mãe, tudo muda para as irmãs Molly e Hannah. As duas meninas são mandadas pelo pai para morar com os avós numa pequena cidade do interior. Certa noite, Hannah decide fugir, e obriga a irmã a ir com ela. Em meio a uma forte tempestade, Molly vê um rapaz perseguido por uma matilha de cães e por um caçador com chifres. No dia seguinte, na coluna de uma velha igreja, Molly observa um rosto esculpido e percebe, estarrecida, que é o mesmo homem que ela viu sendo caçado no dia anterior!
Existe algo de mágico nesse Homem Verde. A grama cresce à sua volta e árvores brotam sob o seu toque. Será ele fruto da imaginação de Molly... ou será um antigo deus esquecido? Se ele tem poder para devolver vida às plantas, não poderia também fazer a mãe de Molly retornar à vida? Esta enternecedora fábula sobre amor, perda e superação, em que o estado da alma dos personagens se confunde com as estações do ano, vai encantar leitores de todas as idades.


Autora

A inglesa Sally Nicholls formou-se em Filosofia e Literatura, e trabalhou na Cruz Vermelha no Japão. Seu primeiro livro, Como Viver Eternamente, também publicado pela Geração Editorial com grande sucesso, teve edições em 19 países, ganhou diversos prêmios na Inglaterra, na Irlanda e na Alemanha, e foi adaptado para o cinema, num filme prestes a estrear mundialmente. Sally mora em Londres.



Opinião

Narrado em primeira pessoa por Molly, “Temporada de Segredos” traz o drama de duas meninas que, além de perderem a mãe, têm que suportar o descaso do pai, cujo sofrimento é tão grande que não consegue reagir a mais nada, e ainda se mudarem para a casa dos avós, numa pequena cidade interiorana.

Ao mesmo tempo em que a temática é triste, não consegui sentir tanto pesar, pois as doces ilusões de Molly acabaram por acalentar o meu coração. Pude viajar na fantasia junto com ela e acompanhar suas aventuras solitárias em busca do Rei Carvalho, para ajudá-lo.

Eu debati um pouco comigo mesma se a existência dele seria real ou não (já que há um momento em que Hannah, irmã de Molly, também o vê) e não cheguei exatamente a uma conclusão definitiva. O mais sensato seria dizer que Molly se utilizou desta lenda para distrair sua mente já sofrida com algo menos doloroso, e assim ocupar não somente a mente, mas o tempo, já que a cidade não proporciona atrações lá muito interessantes. Mesmo assim, a própria professora delas dá a entender que não se deve desdenhar do que não se conhece, então a existência do Rei Carvalho e do Rei Azevinho, teoricamente dois antagonistas entre si e representando opostos, pode sim ser real dentro do contexto da história. Cabe a cada um se decidir.

O que eu realmente gostei na história, além de nos passar a inocência sagaz de uma criança, é o fato de deixar claro que nem sempre tudo permanece igual e nem tudo é o que parece. Em um momento da história, o Rei Azevinho é o vilão perseguidor do bondoso Rei Carvalho. Em outro, os papéis se invertem quando há a mudança de estação. Portanto, hoje se está no topo, amanhã pode estar no chão.

O livro também remete à superação de uma perda e como juntar os cacos e se refazer quando há pessoas que dependem de você (no caso do pai das meninas), além de remoldar a vida e redefinir prioridades. De ponto negativo, poderia citar que não consegui sentir tão profundamente o pesar das garotas, apesar de serem crianças e cada uma expressar de uma forma sua tristeza. Enquanto Hannah é mais “insuportável” e birrenta, Molly se isola mais consigo mesma e suas brincadeiras; o objetivo de ambas é igual: atrair a atenção do pai e voltar para sua casa.

Recomendo o livro para todos que gostam de um tema não tão light, mas tratado de uma forma sublime, de modo a não deixar ninguém depressivo e chorando ou pensando profundamente na fragilidade da vida.  


Frases Marcantes

“Gostaria de viver dentro de um livro. (...) Tudo é muito mais simples nos livros.”

“ – O mundo é um lugar estranho e maravilhoso.”

“Acho que é verdade, que a tristeza em alguém faz as coisas escuras e frias, mas a alegria deixa tudo mais claro e brilhante.”


Capa e Diagramação



A capa é fosca, com muitos detalhes envernizados, e eu amei pela delicadeza e por conter minhas cores favoritas. Os capítulos sempre se iniciam em uma nova página, que são amareladas, e possuem o desenho de uma girassol/sol com o número do capítulo dentro. Destaque para a diagramação, simples e bela. Possui orelhas.
A letra possui tamanho bom, o espaçamento é bom e a numeração das páginas é no centro, na parte inferior. Encontrei alguns erros de digitação/revisão, que não prejudicam a leitura.


Nota



Onde Comprar



O livro faz parte de nosso acervo pessoal. A resenha realizada aponta pontos positivos e/ou negativos encontrados pelo autor do post no decorrer da leitura. A opinião do autor é pessoal e independente da editora e/ou autora do livro.


Postado por


8 comentários :

  1. Olá!
    Parabéns pela resenha, ela está maravilhosa e me deixou com um gostinho de quero mais.
    Sou uma daquelas pessoas, quê juga um livro pela capa e essa está simplesmente maravilhosa!!!
    Beijokas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso porque você ainda não viu pessoalmente, Kênya! É muito mais linda do que parece!
      Beijos.

      Excluir
  2. Boa tarde!
    Ótima resenha, simplesmente perfeita, apesar do gênero não fazer o meu tipo de leitura, esse livro com certeza vai para minha lista de leitura para 2016.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, Marlene.
      Se o livro não faz muito seu gênero nem chamou atenção, não há motivos para perder tempo com ele, com tantos livros por aí, né? A menos que você queira testar se pode gostar desse tipo de leitura. Eu tenho saído um pouco da minha "zona de conforto" e tentado gêneros que não costumava ler. É uma ótima experiência.
      Beijos.

      Excluir
  3. Gosto de livro que me leva a imaginar como é o personagem tal e como seria a minha reação em conhecer tal personagem. O básico da história referente a morte da mãe, pai sofrendo muito e meninas sendo enviadas para morar com parentes é muito comum em vários livros. O que difere é o que elas encontrarão quando vão para tais lugares. Mistura de fantasia e mitologia é uma dosagem perfeita. Espero que seja o caso do livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este foi o primeiro livro que li com esta temática, Maristela. A mistura que você comentou faz sim parte do livro. Espero que curta a leitura!
      Beijos.

      Excluir
  4. Amei a capa!! Acho que viajaria junto com a Molly, a dor da perda de alguém próximo realmente mexe com nossas emoções, principalmente para duas crianças praticamente sozinhas. Gostei da sua resenha!
    bjs!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, maravilha saber que curtiu a resenha! Espero que continue acompanhando o blog.
      Beijos.

      Excluir