.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

RESENHA #60: PROIBIDO, DE TABITHA SUZUMA

Ficha Técnica

Título Nacional: Proibido (Skoob)
Título Original: Forbidden (Goodreads)
Autora: Tabitha Suzuma
Editora: Valentina
Ano: 2014
ISBN: 9788565859363
Páginas: 304
Formato: 17,0 X 24,2 cm
Acabamento: Brochura
Gênero: Ficção, Romance, Drama
*Não recomendado para menores de 18 anos.




Sinopse

Ela é doce, sensível e extremamente sofrida: tem dezesseis anos, mas a maturidade de uma mulher marcada pelas provações e privações da pobreza, o pulso forte e a têmpera de quem cria os irmãos menores como filhos há anos, e só uma pessoa conhece a mágoa e a abnegação que se escondem por trás de seus tristes olhos azuis.
Ele é brilhante, generoso e altamente responsável: tem dezessete anos, mas a fibra e o senso de dever de um pai de família, lutando contra tudo e contra todos para mantê-la unida, e só uma pessoa conhece a grandeza e a força de caráter que se escondem por trás daqueles intensos olhos verdes.
Eles são irmão e irmã.
Com extrema sutileza psicológica e sensibilidade poética, cenas de inesquecível beleza visual e diálogos de porte dramatúrgico, Suzuma tece uma tapeçaria visceralmente humana, fazendo pouco a pouco aflorar dos fios simples do quotidiano um assombroso mito eterno em toda a sua riqueza, mistério e profundidade.


Opinião

Comecei a ler este livro devido ao Book Club #PamdeBel, em sua 3ª edição. Confira o vídeo com a opinião das meninas aqui.

Eu achei, por todas as opiniões lidas sobre ele, que a história me emocionaria mais do que ocorreu, de fato. Não que não tenha seus encantos e, todos hão de concordar, a temática faz refletir. Afinal de contas, o incesto é proibido, se não em todos os países, na maioria deles.

Maya e Lochan/Lochie são irmãos, com a diferença de 13 meses somente, sendo ele o mais velho. Parece uma informação jogada, mas em um momento crucial, acaba fazendo muita diferença. Eles têm mais três irmãos: Kit (totalmente insuportável), Tiffin (viciado em futebol) e Willa (uma doce menina de 5 anos).

Os dois mais velhos fazem as vezes de pais há anos, já que o pai foi embora para outro país e a mãe é uma alcoólatra cada vez mais ausente e que, muitas vezes, se nega a dar dinheiro até para o mais básico. Não bastasse isso, eles ainda precisam manter uma rotina de estudos normal para suas idades e estão sempre preocupados em permanecer unidos, sem que as crianças sejam enviadas para um orfanato.

Temos uma visão global de toda a situação, pois os capítulos são intercalados entre ele e ela, em primeira pessoa. Acho que Lochan muitas vezes tem um comportamento detestável com Maya, e perde o controle nos momentos mais impróprios. Para mim, é óbvio que eles amam a família, mas prefeririam não ter de passar por tudo aquilo. 

Não sei se minha opinião sobre o livro está totalmente formada, pois é preciso tempo para digeri-lo, porém eu não consegui aceitar tão bem esse relacionamento que surgiu entre eles. Acredito que a proximidade deles está mais para um fruto de todo o estresse e pressão sofridos. Diria, até, que seria o caso de um tratamento com psicólogos e psiquiatras, especialmente para Lochan, que ainda sofre ataques de pânico, se automutila inconscientemente (talvez tentando reprimir seus sentimentos pela irmã) e não consegue falar com as pessoas de modo natural, a não ser em casa.

Não levem isso como se eu os chamasse de doentes ou estivesse dizendo que o sentimento não era real – bem, neste caso, não é mesmo, né? Mania de achar que personagens de ficção existem de verdade, rs  Só estou expressando minha opinião sincera, mais como pontos para a reflexão dos futuros leitores da obra ou para quem já leu e procura outras opiniões.

Quanto à escrita, eu gostei bastante, porque é bem descritiva e fluida (algo que muitos odeiam). A autora faz com que nos questionemos o tempo todo se as convenções e imposições sociais são realmente justas. Em muitos momentos, coloca Lochan e Maya com opiniões distintas, para nos mostrar os dois lados da moeda. 

Gostei do livro, mas não mexeu tão profundamente comigo quanto esperava. Ao mesmo tempo em que sentia empatia pela situação em que os personagens viviam, acho que eles poderiam ter buscado alternativas ou tentado se relacionar com outras pessoas com mais afinco. Isso fez com que eu me distanciasse um pouco deles, como alguém que enxerga tudo do alto, sem tomar partido.

O trabalho de revisão e diagramação da editora está excelente. Encontrei somente 4 ou 5 erros de digitação/revisão e que não prejudicam a leitura. Recomendo para quem queira uma leitura viciante e que fuja dos temas comuns, ou para quem busque um tema tabu trabalhado de forma sublime.


Frases Marcantes

“Não quero precisar dela, depender dela, mas preciso e dependo, não resta a menor dúvida.”

“Olho ao redor na sala, mas não encontro ninguém. Meninas atraentes, sim. Uma menina de que eu goste, não. Porque ela não pode ser só um rosto, um corpo; tem que haver mais do que isso, algum tipo de vínculo. E eu não posso nem quero me vincular a ninguém.”


Capa e Diagramação



A capa reproduz duas mãos segurando uma rosa, que é, para mim, a representação do quanto o sentimento e a própria vida são frágeis. Possui orelhas.
Os capítulos são numerados e rodeados por corações com espinhos e feitos de arame farpado. Sempre se iniciam numa nova página, que são amareladas e resistentes. A fonte de letra é pequena, o espaçamento é bom e a numeração das páginas está centralizada na parte superior, sendo que as páginas que iniciam capítulos não a possuem.
Há pouquíssimos erros de revisão/digitação que não atrapalham em nada a leitura. Foi um belíssimo trabalho da Editora Valentina.


Nota



Autora

Tabitha Sayo Victoria Anne Suzuma nasceu em Londres, filha de mãe inglesa e pai japonês, a mais velha de cinco filhos. Ela frequentou o liceu francês, mas saiu da escola aos catorze anos. Dez anos depois, ela se tornou professora e escreveu seu primeiro livro, A Note of Madness. Ela ainda escreveu mais três obras para o público jovem adulto: From Where I Stand, A Voice in the Distance e Without Looking Back. Seu trabalho mais famoso, Forbidden, conta a história de um romance incestuoso entre um irmão e uma irmã. Sua obra mais recente é Hurt, livro lançado em 2013.

Onde Comprar



O livro faz parte de nosso acervo pessoal. A resenha realizada aponta pontos positivos e/ou negativos encontrados pelo autor do post no decorrer da leitura. A opinião do autor é pessoal e independente da editora e/ou autora do livro.


Postado por



Nenhum comentário :

Postar um comentário