.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

segunda-feira, 28 de março de 2016

FUI AO ENCONTRO TORDESILHAS: LANÇAMENTOS DE 2016


Bom dia, Historiadores!

Gostaria de compartilhar com vocês uma felicidade da semana passada. Fiquei super contente quando recebi um convite da Editora Alaúde para um encontro exclusivo com alguns blogueiros, no qual eles apresentariam os lançamentos de 2016 do selo Tordesilhas.

Na terça-feira, encontrei alguns blogueiros amigos, conheci outros tantos e mais o pessoal da editora. O selo Tordesilhas não publica muitos livros por ano, mas me pareceram super empenhados no que fazem, trazendo títulos diferenciados e entregando um trabalho primoroso.

Em 2016, serão 7 lançamentos, no total. Dois já ocorreram, sendo “O Pomar das Almas Perdidas” em fevereiro e “Arco de Virar Réu” agora em março. Este último terá evento oficial de autógrafos dia 05/04 na Livraria Cultura da Avenida Paulista, então quando eu tiver maiores informações, trago na postagem dos eventos quinzenais. 


Fevereiro

O Pomar das Almas Perdidas, de Nadifa Mohamed

Hargeisa, segunda maior cidade da Somália, 1987. A ditadura militar que está no poder faz demonstrações de força, mas o vento que sopra do deserto traz os rumores de uma revolução, e em breve, pelos olhos de três mulheres, vamos assistir ao mergulho do país em uma sangrenta guerra civil.Aos 9 anos, atraída pela promessa de ganhar seu primeiro par de sapatos, a menina Deqo deixa o campo de refugiados onde nascera. Em circunstâncias dramáticas, conhece Kawsar, uma viúva que logo em seguida é presa e espancada por Filsan, uma jovem soldado que deixara a capital para reprimir a rebelião que crescia no norte. Intimista, singelo e poético, O pomar das almas perdidas nos lembra de que a vida sempre continua, apesar do caos e do sofrimento.

Março

Arco de Virar Réu, de Antonio Cestaro

“Numa trama de insanos, o mundo inteiro é só insanidades.”
Narrativa labiríntica escrita em primeiro pessoa, Arco de virar réu descreve os eventos que marcam a deterioração física e mental do narrador-protagonista. Historiador social com forte inclinação para o estudo antropológico, ele é obcecado pelos rituais e pelos constumes dos índios tupinambás. A história começa com o surgimento dos primeiros sintomas de esquizofrenia em seu irmão, nos anos 1970, segue pela adolescência, quando, inspirado em rituais indígenas, o narrador passa a se dedicar à ocultação de cadáveres, e termina com a dolorosa percepção da própria loucura.

Maio

Os Amantes de Hiroshima, de Toni Hill

Maio de 2011. Em uma casa abandonada, perto do aeroporto, a polícia de Barcelona encontra dois mortos envoltos em uma mortalha de flores. Abraçados, eles foram ali sepultados junto com uma grande quantia de dinheiro. Poderia se tratar de um jovem casal de namorados que havia desaparecido sete anos antes? Héctor Salgado e sua equipe são encarregados da investigação, um quebra-cabeça cercado de pistas demais. Mais do que nunca unido à agente Leire Castro na busca por sua ex-mulher, o inspetor Salgado também precisará investigar o que nunca imaginara até chegar à obscura origem do desaparecimento de Ruth e a uma verdade de consequências trágicas e imprevisíveis.

Junho

A Definição do Amor, de Jorge Reis-Sá

Francisco, casado há alguns anos com Susana, com quem tem um filho pequeno, recebe a notícia de que sua mulher teve um AVC e está no hospital, onde diagnosticaram sua morte cerebral. Ao lado da notícia avassaladora, chega-lhe a informação de que ela se encontrava na segunda semana de gestação. Nos meses que seguem, Francisco verá a mulher amada transformar-se na passiva incubadora da filha que lhe tirou a existência, uma vez que o AVC foi causado por essa gravidez indesejada, e passará por um processo de transformação capaz de levá-lo não apenas à aceitação da perda inevitável, mas também a uma espécie melancólica de alegria por aquela vida que lhe tolheu a felicidade.

Julho

A Santa Aliança, de A. J. Kazinski

Eva Katz acaba de ser demitida de seu emprego em um dos mais importantes jornais dinamarqueses e sente que sua vida saiu dos trilhos. Aos 35 anos, com a casa em péssimas condições, ela não tem com quem compartilhar suas dores. Quando lhe oferecem um emprego em uma creche, pensa que esse poderia ser um recomeço. Porém, o encontro com um menino de 5 anos colocará sua vida novamente de ponta-cabeça, pois ela começa a suspeitar que o garoto testemunhou o assassinato de um membro da sua família. Sem saber onde estava se metendo, ela se vê envolvida com a família real e organizações secretas que manipulam a política e a economia europeia, colocando a própria vida em perigo real. Este é o terceiro thriller de A. J. Kazinski publicado no Brasil.

Agosto

Liturgia do Fim, de Marilia Arnaud (Ainda sem capa)

Inácio, escritor e professor universitário, um homem assombrado pela memória e pelos fantasmas de um segredo familiar, abandona a mulher e a filha, as salas de aula e a literatura para voltar a Perdição, lugar onde nasceu e viveu até os 18 anos. Com essa idade foi expulso de casa pelo pai, um homem rude e autoritário que educou os filhos com rigor e frieza. Numa narrativa descontinuada e sinuosa, em que presente e passado se alternam e se misturam, Inácio narra a infância e a adolescência em Perdição, a vida em família, a relação difícil com o pai, o terno entendimento com a mãe, a obsessão pela tia louca, os medos noturnos, o primeiro e único amor, a paixão pelos livros. Este é o segundo romance de Marilia Arnaud, escritora paraibana que já participou de várias coletâneas de contos.

Setembro

Las Inviernas, de Cristina Sánchez-Andrade

As irmãs Dolores e Saladina regressam à aldeia galega de Tierra del Chà depois de muitos anos de ausência. Elas foram embora ainda jovens, depois do assassinato do avô, em 1936. Morando na Inglaterra, uma delas ganhava a vida passando e costurando; a outra era camareira de um hotel. Um era bonita. A outra, feia. Estão unidas por um passado obscuro e por um espesso frio de amor e crueldade sempre a ponto de se romper, mas também pelo amor ao cinema. São essas as protagonistas do mais recente romance da premiada escritora Cristina Sánchez-Andrade, uma história em que a fantasia, a oralidade e a ternura se combinam num coro de personagens extravagantes, que habitam uma Espanha não de todo desaparecida.  



Lembro vocês de que algumas capas ainda podem ser modificadas, bem como títulos dos livros e sinopses. “Arco de Virar Réu” será resenhado em breve aqui no blog. Vocês precisavam estar lá para ver a paixão com que falam desses próximos lançamentos! Fiquei com vontade de ler absolutamente todos! Quem quiser saber mais sobre os livros desta editora, só visitá-los aqui










Beijos.


Postado por


Nenhum comentário :

Postar um comentário