.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

domingo, 17 de abril de 2016

RESENHA #24: RUA CLOVERFIELD, 10

Ficha Técnica

Título Nacional: Rua Cloverfield, 10
Título Original: 10 Cloverfield Lane
Lançamento: 07 de Abril de 2016 (1h43min)
Dirigido por: Dan Trachtenberg
Com: Mary Elizabeth Winstead, John Goodman, John Gallagher Jr., Suzanne Cryer, Bradley Cooper
Nacionalidade: EUA
Gênero: Ficção Científica, Suspense






Sinopse

Uma jovem (Mary Elizabeth Winstead) sofre um grave acidente de carro e acorda no porão de um desconhecido. O homem (John Goodman) diz ter salvado sua vida de um ataque químico que deixou o mundo inabitável, motivo pelo qual eles devem permanecer protegidos no local. Desconfiada da história, ela tenta descobrir um modo de se libertar — sob o risco de descobrir uma verdade muito mais perigosa do que seguir trancafiada no bunker.


Opinião

Este foi um filme cuja existência eu desconhecia, e só tomei ciência através do blog A Menina que Comprava Livros. Após assistir o trailer e saber que foi produzido por J. J. Abrams (um dos dois autores do livro “S.”, lançado recentemente pela Intrínseca e que em breve chegará em minhas mãos), soube que precisava conhecer um pouco mais de suas obras.

Por se passar, com exceção do começo e final, todo dentro de um bunker - um abrigo subterrâneo anti-guerra -, tanto o cenário quanto o número de atores e efeitos especiais foi bastante reduzido, proporcionando o que acredito ser um orçamento bastante baixo para a produção do filme.

O longa começa com Michelle abandonando seu noivo, sem motivações aparentes (Bradley Cooper não aparece, só faz a voz do noivo abandonado ligando para Michelle). Ela entra em seu carro, para em um posto de gasolina e prossegue viagem. É quando, no meio do nada, surge uma caminhonete ou um caminhão e joga seu carro para fora da rodovia. Ao despertar, ela se encontra como hóspede forçada de um homem chamado Howard, com uma perna presa por algemas à parede.

Suplicando por sua vida e para ser deixada livre, ela é informada de que houve um ataque, provavelmente químico e realizado por extraterrestres, e todos fora do bunker estão mortos. Ao sair de seu quarto, ela conhece Emmett, um rapaz que ajudou a construir aquele local. Desconfiada dos modos e intenções de Howard, e mesmo da veracidade de tudo que ele afirma, ela vai enveredando cada vez mais no passado dele e em seu próprio, contando com a ajuda de Emmett. E, como diz o poster do filme, “monstros se revelam de várias formas”.

Com uma trama não tão surpreendente e um ritmo de história linear e angustiante, “Rua Cloverfield, 10” mostra que não é necessário muito para entreter os espectadores. Sem pretensão de ser um blockbuster, pode agradar ou incomodar ao remexer no íntimo de quem o assiste, abordando arrependimentos e o quanto eventos extremos podem mudar uma pessoa e seu jeito de ser. É um filme "parado", então se este é seu estilo, vem com tudo nele!  


Trailer



Nota  



Postado por



2 comentários :

  1. Que legal!!!
    Você resenha filmes!
    Vim visitá-la, porque você faz parte do grupo Booktour A Boneca Fantasma.
    Não vejo a hora de ver sua resenha.
    Abraços!!!

    http://filosofodoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!!
      Sim, eu tento fazer um pouquinho de tudo, apesar do foco principal ser livros mesmo. Mas gosto de dar "pitaco" em tudo, rs.
      Fico lisonjeada que tenha gostado.
      Beijos.

      Excluir