.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

quinta-feira, 5 de maio de 2016

RESENHA #72: GUERRA DO VELHO, DE JOHN SCALZI

Ficha Técnica

Título Nacional: Guerra do Velho (Skoob
Título Original: Old Man’s War (Goodreads
Série: Guerra do Velho – Livro 1
Autor: John Scalzi
Editora: Aleph
Ano: 2016
ISBN: 9788576572992
Páginas: 368
Formato: 22,7 X 15,6  cm
Acabamento: Brochura
Gênero: Ficção Científica




Sinopse

A humanidade finalmente chegou à era das viagens interestelares. A má notícia é que há poucos planetas habitáveis disponíveis – e muitos alienígenas lutando por eles. Para proteger a Terra e também conquistar novos territórios, os humanos precisarão de tecnologias inovadoras, capazes de criar supersoldados com habilidades jamais vistas, e um exército disposto a arriscar tudo.
Esse exército, conhecido como Forças Coloniais de Defesa, não apenas mantém a guerra longe dos terráqueos e colonos, como também evita que eles saibam demais sobre a situação do universo. Mas, para se alistar, é necessário ter mais de 75 anos. John Perry vai aceitar esse desafio, ainda que tenha apenas uma vaga ideia do que pode esperar. Neste romance original e surpreendente, o premiado autor John Scalzi escreve uma história de ficção científica da mais alta qualidade e, com bom humor e uma escrita hábil, trata de temas como militarismo, envelhecimento, ética e amor.


Opinião

Nesta resenha dupla, apresentamos duas opiniões:

Amanda (História Muda)

Quando “Old Man’s War” foi lançado, houve muito burburinho positivo. E quando eu soube que a Editora Aleph lançaria o livro aqui no Brasil, fiquei na maior expectativa.
Contudo devo dizer que todo o burburinho, falatório e expectativa não foram suficientes. O livro é muito melhor! É muito mais do que eu esperava.

Ao participar do Café Intergaláctico, não imaginava que ganharia um exemplar deste livro e o quanto ele seria surpreendente! John Scalzi é um autor que acabei de conhecer, mas já quero ler tudo o que ele escreve ou escreveu.

John Perry foi casado por muitos anos com Kathy, os dois se amavam e viviam muito bem, não imaginavam viver separados, e por isso eles já planejavam se alistar nas Forças Coloniais de Defesa juntos quando completassem 75 anos.

As Forças Coloniais de Defesa é um exército estelar que luta para manter a guerra longe da Terra. Porém, para que um terráqueo possa se alistar, ele deve ter 75 anos completos, nunca menos que isso.

O que John Perry não esperava era que Kathy morresse anos antes. John se manteve em luto até completar a idade mínima para alistar-se, e no dia do seu aniversário ele visitou o túmulo da sua esposa pela última vez e foi para o exército para nunca mais voltar.

Há todo um mistério envolvendo o alistamento. Afinal de contas, em que senhores e senhoras de 75 anos podem ajudar numa guerra? Mas a explicação do porquê desta idade aparece em determinado momento no livro, e é totalmente realista e compreensível. Porém, como os terráqueos são mantidos ignorantes sobre a maneira com que as FCD funcionam e como eles serão úteis lá no espaço, alistar-se é um tiro no escuro para velhinhos que não possuem mais nada a perder e cuja entrada no exército representa uma última esperança de vida.

Devo acrescentar que pesquei alguns elementos que não são novidades pra mim, mas nas letras de John Scalzi, elas ficaram muito atraentes; exemplo: o “pé de feijão”, que é um “elevador” que sai da Terra e vai até o espaço. Já não vimos isso? Vimos sim, em “As Fontes do Paraíso” de Arthur C. Clarke. Além disso, o próprio autor se diz fã do clássico “Tropas Estelares” e por isso muitas referências dele também são encontradas. Mas não se engane, só essas semelhanças serão encontradas, toda a obra é muito original, principalmente em se tratando de personagens.

John Perry é sem dúvida um dos melhores personagens que já conheci. O cara é muito divertido, sempre vê uma luz no fim do túnel, é incrível mesmo; seu amor por Kathy atravessa o espaço e parece sempre recente.

Como protagonista e narrador, John possibilita que entremos em sua mente e sintamos todas as novidades e conflitos internos. Ele é um homem bem-humorado, mordaz, sagaz e simples, e demonstra uma grande lealdade com os Velharias, nome de um grupo que criou com alguns amigos do exército.

As lutas são ótimas, e por isso eu recomendo que você não se apegue a muitos outros personagens, pois como o título diz, é uma guerra e nem todos sobrevivem. As raças alienígenas criadas – assim como todo o livro, no geral – são muito bem descritas, de forma a tornar possível a visualização. Algumas possuem peculiaridades interessantes e, inúmeras vezes, perigosas.

Os diálogos são perfeitos, me peguei gargalhando no metrô algumas vezes, porém o humor é presente até quase a metade do livro, depois a história fica mais densa, o que é muito aceitável, já que o clima também muda, e o final é de cortar o coração.

O desenvolvimento da história foi muito bem amarrado, deixando curiosidades suficientes para justificar continuações. O final foi perfeito, nem sei explicar direito o quanto. A única certeza que posso dar é a de que o livro passa num piscar de olhos, e você já se vê desejando ter os próximos volumes em mãos.

Necessito do segundo livro já!  


Frases Marcantes

“O problema de envelhecer não é acontecer uma desgraça após a outra – é toda a desgraça acontecer de uma vez e o tempo todo.”

“É algo estranho, maravilhoso e, ainda assim, perturbador ser tão bom em algo quanto você sempre quis ser e ser ainda melhor que isso.”

“É simples, mas simples não é a mesma coisa que fácil.”


Capa e Diagramação



A editora realizou um trabalho maravilhoso, tanto na capa quanto na revisão. O nome do autor e título são em preto com textura envernizada; o mesmo ocorre com os nomes na lombada e uma frase na contracapa, mas desta vez, na cor branca. Possui orelhas.
Os capítulos são numerados, sempre se iniciam numa nova página, que são amareladas e resistentes, e possuem divisórias em páginas pretas. A fonte da letra é pequena e o espaçamento é bom. A numeração das páginas está no canto inferior externo.
Não encontrei absolutamente nenhum erro de revisão/digitação, pois a editora teve o carinho de passá-lo por várias revisões. Apaixonada pelo trabalho da Aleph. 



Book Trailer




Nota



Autor

John Scalzi é escritor, editor e crítico de cinema. Ex-presidente da Science Fiction and Fantasy Writers of America (Escritores de Ficção Científica e Fantasia da América), já ganhou os prêmios Hugo e Locus, além do prêmio John W. Campbell de Melhor Escritor Estreante com Guerra do velho, seu primeiro romance. Entre seus livros estão Redshirts e Lock In. Scalzi mora em Ohio, nos Estados Unidos, com a esposa, a filha e vários animais de estimação.


Onde Comprar



O livro é uma cortesia da editora Aleph. A resenha realizada aponta pontos positivos e/ou negativos encontrados pelo autor do post no decorrer da leitura. A opinião do autor é pessoal e independente da editora e/ou autor do livro.


Postado por


2 comentários :

  1. Oi, oi Amanda!
    Adorei a resenha, o livro tem uma premissa bem interessante e eu amo esse tipo de enredo futurista/distópico, pretendo ler em breve! :D
    Beijos!
    Borboletas de Papel | Fanpage

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline, leia e não se arrependerá! O único fator triste é ter que esperar pela publicação das continuações, rs. Mas saiba que elas existirão, pois a Aleph já comprou os direitos, e isso já anima e muito!
      Beijos.

      Excluir