.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

sábado, 16 de julho de 2016

RESENHA #25: COMO EU ERA ANTES DE VOCÊ

Ficha Técnica

Título Nacional: Como Eu Era Antes de Você
Título Original: Me Before You
Lançamento: 16 de Junho de 2016 (1h50min)
Dirigido por: Thea Sharrock
Com: Emilia Clarke, Sam Claflin, Janet McTeer, Charles Dance, Matthew Lewis, Jenna Coleman
Nacionalidade: Reino Unido
Gênero: Drama, Romance






Sinopse

Rico e bem sucedido, Will (Sam Claflin) leva uma vida repleta de conquistas, viagens e esportes radicais até ser atingido por uma moto, ao atravessar a rua em um dia chuvoso. O acidente o torna tetraplégico, obrigando-o a permanecer em uma cadeira de rodas. A situação o torna depressivo e extremamente cínico, para a preocupação de seus pais (Janet McTeer e Charles Dance). É neste contexto que Louisa Clark (Emilia Clarke) é contratada para cuidar de Will. De origem modesta, com dificuldades financeiras e sem grandes aspirações na vida, ela faz o possível para melhorar o estado de espírito de Will e, aos poucos, acaba se envolvendo com ele.


Opinião

Terminei o livro (resenha AQUI) e logo veio aquela vontade de conferir o longa metragem. Portanto, farei uma comparação entre a obra escrita e o filme, sem me estender demais nos pormenores.

A premissa do filme segue a do livro, em que Will é atropelado por uma moto e fica tetraplégico. Achei a cena bem fraquinha, com a moto vindo em baixa velocidade... E Lou, que vive uma vida medíocre, sendo demitida do café e contratada pela mãe de Will como sua cuidadora.

Em minha opinião, a essência de Lou lhe foi tirada no filme. A cena em que ela se perde no labirinto do castelo não apareceu e, consequentemente, aquela informação do passado ficou perdida. Então, o seu jeito diferente de ser, ao se vestir de modo peculiar e ser acomodada e passiva com relação ao namoro e à família, ficou parecendo somente breguice ou excentricidade.

Por falar na família dela, ela super se dá bem com a irmã, quando no livro há bastante rusga entre as duas e até brigas sobre o egoísmo de Katrina, ao querer retomar a faculdade e deixar as despesas da casa todas nas costas de Lou. Além disso, o filme passou a imagem de uma família harmoniosa, quando na verdade eles vivem uma relação caótica, em que Lou chegava a ser humilhada ou reprovada por eles, sempre comparada à “irmã prodígio”.

Conseguiram deixar o personagem Patrick, namorado de Lou, mais irrelevante e artificial, excluíram a irmã de Will e em momento algum mostram as mudanças reais pelas quais a personagem Lou passa por sua convivência com Will, especialmente a vontade de voltar a estudar. Além disso, toda a pesquisa que ela faz de viagens e conversas com tetraplégicos na internet, foram suprimidas.

Acho que o filme é bom, cheguei a me emocionar pelas atuações de Emilia e Sam, mas com certeza para quem leu a obra, ficou bastante aquém. 




Trailer



Nota



Postado por


Nenhum comentário :

Postar um comentário