.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

segunda-feira, 11 de julho de 2016

RESENHA #83: A MENTIRA EM SEUS OLHOS, DE AURÉLIO ARNHOLDT

Ficha Técnica

Título Nacional: A Mentira em seus Olhos (Skoob)       
Autor: Aurélio Arnholdt
Editora: Autografia
Ano: 2015
ISBN: 9788555263064
Páginas: 408
Formato: 15,9 X 23,0  cm
Acabamento: Brochura
Gênero: Ficção, Romance, Policial






Sinopse

Após sofrer uma tentativa de assassinato, os caminhos de Aline, uma jovem promotora de justiça, se cruzam novamente com os de Miguel, delegado da Polícia Federal designado para investigar seu caso. Entretanto, com a ajuda de Luis, um odiado jornalista investigativo, Miguel descobrirá que o atentado contra a promotora é apenas a ponta de uma trama sórdida que visa dividir o poder em Brasília, chantageando e corrompendo políticos, com a ajuda de pessoas influentes e que guardam muitos segredos. Uma história contada por diversos pontos de vista, sendo possível perceber a efemeridade da vida e do indivíduo, a fragilidade das relações e, principalmente, que é impossível conhecer alguém de verdade.


Opinião

“A Mentira em seus Olhos” nos traz os bastidores do cenário político de Brasília, através de múltiplos pontos de vista, narrados em 3ª pessoa. Conhecemos Miguel e Pedro, ambos trabalhando na Polícia Federal; Ferrari, superintendente da Polícia Federal; Aline Barreto e Guilherme Pereira Nunes, promotores na Operação Catracas; Murillo e Laís, um senador e sua secretária; Ouvides e Marise, o vice-presidente e sua secretária; Ulisses e Bárbara, segurança e mulher de Ouvides; Luis, jornalista do Clarim. Há ainda outros personagens secundários.

A história tem início com Aline indo ao posto abastecer seu carro e sendo alvejada por 3 tiros, que deveriam ter sido fatais, porém ela sobrevive. Miguel, como delegado da PF, é encarregado por Ferrari de cuidar da investigação do caso, e precisa omitir seu relacionamento amoroso com Aline, quando ambos ainda estavam na faculdade.

Murillo, o senador ambicioso, quer mostrar sua capacidade a seu pai, como uma forma de autoafirmação, tornando-se presidente da República. Para tanto, contará com um esquema que envolve chantagear Ouvides, o atual vice-presidente, com a ajuda de 3 pessoas mais ambiciosas do que ele próprio, mas dispostos a qualquer trama para atingir seus objetivos. Luis é quem fará ligações importantes entre vários dos outros personagens, sempre com seu faro investigativo.

Pode parecer relativamente confuso, porém após uns 2 ou 3 capítulos, já é possível se familiarizar melhor com a função e objetivo de cada personagem. Preciso dizer, entretanto, que não há uma profundidade sentimental grande em nenhum deles, e em alguns momentos, eles agem de forma impulsiva e como se não estivessem abalados na página anterior.

O autor conseguiu me prender de verdade lá por volta da página 150. Aconteceu uma reviravolta com um dos personagens que eu não cheguei sequer a cogitar, e gostei bastante de ser surpreendida. Todos os personagens têm um motivo para estarem lá, e realmente não dá para confiar em quase nenhum, já que a maioria visa algum lucro pessoal, mesmo que para isso, outros tenham que cair no processo.

Com uma trama que considerei bastante verossímil, mas um tanto quanto sangrenta e beirando o exagero em determinadas cenas, a história voou diante de meus olhos e, quando me dei conta, acabou.

Recomendo a leitura, apesar de conter diversos erros de digitação/revisão, em especial na falta ou excesso de vírgulas.

     
Frases Marcantes

“Ele adorava direito. Até entrar para a Polícia Federal e perceber que a política é mais forte que qualquer lei.”

“Cai na real Luis, a gente tinha mais liberdade de imprensa na ditadura do que hoje.”


Capa e Diagramação


A capa traz olhos arregalados, aparecendo no meio de um quebra-cabeça. Preciso confessar que não me agrada e não consigo olhar muito para ela, mas acho que combina bem com a história. Os capítulos iniciam-se sempre em uma nova página. Possui orelhas.
O tamanho da letra é bom e o espaçamento entre linhas também. A numeração das páginas, que são brancas, é no centro, na parte inferior. Encontrei vários erros de digitação/revisão, em especial na falta ou excesso de vírgulas.


Nota



Autor

Aurélio Arnholdt nasceu em São Paulo no dia 15 de maio de 1977. Amante da escrita desde jovem, começou escrevendo poesias juvenis. Por anos amadureceu a ideia de um livro, um romance, uma ficção, não sabia ao certo. Até que, finalmente, em 2012, começou a transformar em palavras os acontecimentos que estavam apenas na própria imaginação. 




Onde Comprar



O livro é uma cortesia do blog Tô Pensando em Ler, em parceria com a editora Autografia. A resenha realizada aponta pontos positivos e/ou negativos encontrados pelo autor do post no decorrer da leitura. A opinião do autor é pessoal e independente da editora e/ou autor do livro.




Postado por


2 comentários :

  1. Oi, Amanda.
    Parece ser um livro realmente verossímil. Eu gosto de livros nacionais que tenham como tema a nossa sociedade.
    Não conhecia o livro, mas parece interessante.
    Obrigada por participar do #DesafioAlfabetoLiterario
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luana.
      Também não conhecia este livro, recebi numa cortesia de blog parceiro para resenhar, e é uma boa leitura. Com uma nova revisão, poderia ficar ainda melhor.
      Beijos.

      Excluir