.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

quinta-feira, 14 de julho de 2016

RESENHA #84: COMO EU ERA ANTES DE VOCÊ, DE JOJO MOYES

Ficha Técnica

Título Nacional: Como Eu Era Antes de Você (Skoob)  
Título Original: Me Before You (Goodreads)  
Série: Como Eu Era Antes de Você – Livro 1
Autora: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Ano: 2013
ISBN: 9788580573299
Páginas: 320
Formato: 23,0 X 15,9  cm
Acabamento: Brochura
Gênero: Romance, Drama



Sinopse

Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Sua vidinha ainda inclui o trabalho como garçonete num café de sua pequena cidade - um emprego que não paga muito, mas ajuda com as despesas - e o namoro com Patrick, um triatleta que não parece muito interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor tem 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de ter sido atropelado por uma moto, o antes ativo e esportivo Will agora desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Sua vida parece sem sentido e dolorosa demais para ser levada adiante. Obstinado, ele planeja com cuidado uma forma de acabar com esse sofrimento. Só não esperava que Lou aparecesse e se empenhasse tanto para convencê-lo do contrário.
Uma comovente história sobre amor e família, Como eu era antes de você mostra, acima de tudo, a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado.


Opinião

Uma autora e um livro tão falados, além do filme que estreou há pouco, li com bastante expectativa, apesar de saber que isso nem sempre é bom. Vamos ver se atingiu aquilo que eu imaginava.

Louisa Clark é uma mulher de 26 anos que trabalha como garçonete em um café e ajuda no sustento da casa. Sua irmã mais nova sempre foi tida como a mais inteligente, ao menos até ficar grávida e ter um filho sendo mãe solteira. Mesmo assim, os pais continuaram comparando as duas, de modo que Lou sempre se sentia por baixo, criando deste modo, uma espécie de antagonismo entre as duas, mesmo que ainda exista o carinho de irmãs. Ela namora com Patrick há 7 anos, um namoro bem morninho, como todo o resto em sua vida (eu realmente não gostei dele e não entendi o que fez com que se aproximassem, ainda menos que ficassem tanto tempo juntos). Sua característica marcante é vestir-se de maneira um tanto quanto peculiar (brega mesmo, pronto, falei).

Will Traynor tem 35 anos e costumava praticar esportes radicais e viajar muito, além de possuir um emprego no qual fazia muito dinheiro. Tinha uma namorada chamada Alicia e um melhor amigo chamado Rupert. Mas isso tudo foi antes do acidente em que ele foi atropelado e ficou tetraplégico. Agora, ele é um cara confinado em uma cadeira de rodas, mal-humorado e dependente dos outros para tudo. Para completar, sua saúde vai declinando com o tempo. Já faz 2 anos que ele está nessa, quando Lou entra em sua vida.

O encontro dos dois personagens – que em outra situação, provavelmente nunca se encontrariam – acontece quando Lou perde seu emprego no café e tenta várias vagas, até chegar ao de cuidadora. A relação não começa nada bem, mas aos poucos as coisas vão se ajeitando e eles criam uma rotina. A missão de Lou é muito mais do que de uma simples cuidadora: ela precisa resgatar a vontade de viver de Will e possui 6 meses para isso.

Com uma temática polêmica, Jojo Moyes conseguiu fazer com que eu enxergasse os dois lados da moeda, inserindo-nos numa narrativa em 1ª pessoa, com diferentes pontos de vista, focando em Lou. Eu não só enxerguei a problemática, como consegui compreender a motivação de ambos.

Louisa poderia ser vista como uma personagem acomodada e excêntrica, mas seu passado revelará um momento que ela gostaria de esquecer e que desencadeou todo esse seu jeito de ser. Will e Lou são complementos um do outro, pois ambos possuem famílias que não os compreendem (e chegam a ser egoístas) na maior parte do tempo, ele teve a oportunidade de viver intensamente e o fez, e ela nunca se imaginou querendo mais para seu futuro, e a convivência lhe abre outros horizontes, fazendo com que ela se redescubra.

Gostei demais da leitura, pois consegui aprender muito sobre o mundo das pessoas deficientes e da maneira como elas podem se sentir. Mesmo não sendo surpreendente, a forma como é escrito faz com que o livro seja especial e toque os corações. Consegui aceitar o final bem mais tranquilamente do que a opinião da maioria, pelo que li por aí. Recomendo para quem quer ler algo diferente, passado de uma maneira natural, leve e bem humorada.


Frases Marcantes

“Às vezes, eu me perguntava se aquilo não era um mecanismo de defesa de Will, já que a única maneira que encontrou de lidar com sua vida foi fingir que não era com ele que aquelas coisas estavam acontecendo.”

“Podia ser estranhamente desanimadora a completa recusa do ser humano em ao menos tentar agir de maneira responsável.”

“Que todos nós éramos parte de um grande ciclo, algum tipo de arranjo cuja finalidade só Deus poderia entender.”

“Como sabe? Você não fez nada, não foi a lugar algum. Como sabe que tipo de pessoa você é?”

“Eu não sabia que a música era capaz de fazer com que as coisas novas surgissem dentro da gente e nos levar a lugares que nem o compositor imaginou.”


Capa e Diagramação



A capa é toda fosca, exceto pelas palavras “eu” e “você”, além do título do livro na lombada. A editora manteve a capa original, com pequenas modificações. Os capítulos sempre se iniciam em uma nova página, que são amareladas. Possui orelhas.
O tamanho da fonte e o espaçamento são reduzidos, e a numeração das páginas fica na parte superior, parte externa, e as páginas que iniciam capítulos não são numeradas. A diagramação é bastante simples. Há alguns erros de revisão/digitação que não chegam a prejudicar a leitura.


Leia um Trecho



Book Trailer



Nota



Autora

Jojo Moyes nasceu em 1969 e cresceu em Londres. Estudou jornalismo e foi correspondente do The Independent por dez anos. Publicou seu primeiro livro em 2002, e desde então dedica-se integralmente à carreira de escritora. Além de Como eu era antes de você, é autora de A última carta de amor, também publicado pela Intrínseca. 




Onde Comprar



O livro faz parte de nosso acervo pessoal. A resenha realizada aponta pontos positivos e/ou negativos encontrados pelo autor do post no decorrer da leitura. A opinião do autor é pessoal e independente da editora e/ou autora do livro.




Postado por


3 comentários :

  1. Oi, Amanda
    Eu sou uma pessoas daquelas esquisitas que não consegue gostar desse livro.
    Não gosto da Lou, não gosto de como foi desenvolvido e de como ela enxerga a situação.
    Enfim, que bom que você gostou.
    bjs
    Obrigada por participar do #DesafioAlfabetoLiterario

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luana.
      Acho normal, muita gente não gosta pelo desfecho que o livro teve, mas eu entendi o intuito da autora, e foi isso de que mais gostei.
      Beijos.

      Excluir
  2. Olá adorei a resenha o livro Como eu era antes de você também e um dos que quero muito ler 😍
    Bjss! 😘

    ResponderExcluir