.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

RESENHA #93: A GAROTA DO CALENDÁRIO - MARÇO, DE AUDREY CARLAN

Ficha Técnica

Título Nacional: A Garota do Calendário – Março (Skoob)  
Título Original: Calendar Girl: March (Goodreads)  
Série: A Garota do Calendário – Livro 3
Autora: Audrey Carlan                 
Editora: Verus  Grupo Editorial Record
Ano: 2016
ISBN: 9788576865186
Páginas: 119
Formato: 20,8 X 13,4 cm
Acabamento: Brochura
Gênero: Romance, Erótico/Hot
Recomendação: 18+



Sinopse

Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato.
A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser. Dinheiro fácil.
Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser...
Mia vai passar o mês de março em Chicago com o empresário Anthony Fasano, que a contrata para fingir ser noiva dele. A princípio Mia não entende por que um homem tão lindo e másculo precisa de uma noiva de mentira, mas ela está prestes a descobrir...


Opinião

Este livro é o terceiro da série “A Garota do Calendário” e pode conter SPOILERS dos livros anteriores. Leia as resenhas de Janeiro e Fevereiro.

Vocês sabem o quanto esta série me prendeu e me fez ter uma nova visão sobre livros eróticos. Porém, neste mês de março, não consegui me sentir tão empolgada, apesar de ser um volume muito bom. Vamos às considerações sobre a leitura...

Anthony Fasano é um maravilhoso lutador de boxe e empresário de um restaurante de família que serve comida italiana e leva seu sobrenome. Em sendo assim, por qual motivo ele precisaria que uma acompanhante fingisse ser sua noiva? Bem, a resposta é simples e já vem no começo do romance: ele é gay e acha que assumir seu relacionamento de 15 anos, mantido desde a faculdade com Hector Chavez, estragará sua imagem.

Mia fica babando por ele, muito mais do que por Wes ou Alec, só que isso dura pouco, pois a partir do momento em que ela descobre sua orientação sexual, ela se empenha em ajudá-lo a “sair do armário”.

Pontos positivos: pode-se conhecer um pouco mais da irmã de Mia e ela parece ser uma ótima pessoa; a volta do meu personagem querido à série, mesmo que só um pouquinho, incluindo uma maneira diferente de se relacionar com Mia.

Pontos negativos: a família de Tony, especialmente a mãe, nem pareceu tão surpresa ou contra seu relacionamento, deixando a motivação dele para se esconder tanto tempo, enfraquecida; por conta do ponto citado anteriormente, o final ficou meio, como posso dizer... idealizado demais; a Mia não é uma boa atriz nem profissional quanto a ser uma acompanhante. Eu até entendo que ela se envolva com os problemas dos clientes e tente ajudar – até porque senão não haveria enredo – mas ela surta por qualquer coisa, desta vez foi pela abordagem de casamento e religião.  

As cenas hot diminuíram consideravelmente, o que eu não acho ruim, pois Audrey investiu mais na história, nas reflexões e crescimento dos personagens – mesmo que a família do Tony não seja tão explorada. Ainda estou acompanhando a série, algo que com certeza farei até o final (a esperança da Mia ficar com o Wes é a última que morre, rs), porém este volume foi o menos gostei até agora.  
  

Frases Marcantes

“Minha irmã é uma alma velha. Sempre considerei um dom a forma como ela consegue ler as pessoas. Um dom que eu, certamente, não tenho.”

“ — O meu coração quer se jogar, mas o cérebro me lembra de todos os idiotas que vieram antes.”

“ A casa sempre ganha. Todo mundo sabe disso, provavelmente no mundo inteiro, mas as pessoas são burras o suficiente para continuar tentando a sorte e mandar pelo ralo o dinheiro da faculdade dos filhos ou do aluguel.”

“No fim das contas, amor era amor, e ninguém pode escolher por quem se apaixonar, nem saber quanto tempo esse sentimento vai durar.”

“Homens... Às vezes eles só ouvem o que querem. Não importa se são gays, falta-lhes o gene da compreensão da alma feminina e seus motivos.”

“ — Nunca vai ser o momento certo para magoar alguém.”

“Ele era quente, familiar e tudo de que eu sentia falta na vida que eu queria, mas ainda não podia ter.”

“Não podia permitir que o sentimento que tinha ficasse no caminho do que eu estava fazendo, ou das experiências que prometi a mim mesma que teria.”


Capa e Diagramação


A edição é menor do que um livro “normal”, mas não chega a ser pocket (livro de bolso). A capa não é das mais bonitas, em minha opinião. Os capítulos iniciam sempre numa nova página, com o número correspondente e uma figura que me parece uma pimenta. As páginas são amareladas e possui orelhas.

A fonte das letras e o espaçamento são bons. A numeração das páginas é no centro, na parte inferior. Não encontrei nenhum erro de digitação/revisão, excelente trabalho da editora.


Leia um Trecho



Book Trailer




Nota



Autora

Audrey Carlan escreve histórias de amor criadas para proporcionar aos leitores uma experiência sexy e romântica. Além de A garota do calendário, ela é autora das séries Falling e Trinity. Seus livros já figuraram nas listas de mais vendidos de jornais como New York Times, Washington Street Journal e USA Today.
Audrey mora na Califórnia com o marido e dois filhos. Quando não está escrevendo, ela gosta de praticar ioga, tomar uma taça de vinho com as amigas e ler romances picantes.


Onde Comprar



O livro faz parte de nosso acervo pessoal. A resenha realizada aponta pontos positivos e/ou negativos encontrados pelo autor do post no decorrer da leitura. A opinião do autor é pessoal e independente da editora e/ou autora do livro.




Postado por



2 comentários :

  1. Vejo que a personagem se apega muito aos seus parceiros, e a intenção não era essa, não que isso seja ruim como mesma disse, se não fosse esse apego e tentar resolver os problemas de seu parceiro não teria história, no entanto isso chega a ser de mais como nesse livro, mesmo assim quero conhecer esse personagem, e como a família vai reagir perante essa situação.

    ResponderExcluir
  2. Amanda!
    Parece que esse exemplar quebrou um pouco o ritmo das investidas sexuais de Mia e bom ver que ela vai ajudar seu contratante a sair do armário, já que é gay...Ela tem de ter um descanso também, né?
    “Todos os homens, por natureza, desejam saber.” (Aristóteles)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir