.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

RESENHA #96: POR LUGARES INCRÍVEIS, DE JENNIFER NIVEN

Ficha Técnica

Título Nacional: Por Lugares Incríveis (Skoob)
Título Original: All the Bright Places (Goodreads)
Autora: Jennifer Niven
Editora: Seguinte – Companhia das Letras
Ano: 2015
ISBN: 9788565765572
Páginas: 336
Formato: 23,0 X 16,0 cm
Acabamento: Brochura
Gênero: Romance, Drama, Young Adult





Sinopse

Violet Markey tinha uma vida perfeita: amigos populares, um namorado lindo, um futuro estudando escrita criativa em Nova York e várias ideias para a revista on-line que dividia com sua irmã, Eleanor. Mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando as duas sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pela morte da irmã, Violet para de escrever, se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente.
Theodore Finch encarna um personagem diferente a cada semana – Finch anos 80, Finch Fodão, Fich largado – e sempre faz o que dá na telha. Essa personalidade imprevisível não raro acaba lhe trazendo problemas, e logo ele se torna o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e chamado de “aberração” por onde passa. Para piorar, o garoto é obrigado a lidar com longos períodos de depressão, um pai violento e a apatia do resto da família.
Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora e aplacar o luto que sente pela ausência da irmã, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre do sino da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular.
Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Eles vão até o ponto mais alto de Indiana, a um parque de bibliotecas que funcionam dentro de trailers antigos, a uma lagoa que dizem não ter fundo, a montanhas-russas construídas por um senhor viciado em adrenalina, entre vários outros locais grandiosos ou pitorescos. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.


Opinião

“Por Lugares Incríveis” é um livro que eu só ouvia falar bem e acho a capa chamativa, passa uma vibe bem positiva. Já o tinha há algum tempo em minha estante, portanto decidi aproveitar que a autora virá para a Bienal do Livro de São Paulo para finalmente conferir sua escrita.

Violet Markey e Theodore Finch são estudantes do mesmo colégio, mas pertencem a círculos diferentes. Enquanto ela tem um namorado certinho, uma família perfeita, tira boas notas e é popular, ele possui uma família que pouco liga para ele, seus pais são separados, o pai é violento e bipolar, na escola Finch é conhecido como “aberração”. Nada poderia apresentar estes dois personagens um ao outro, a não ser um fatídico dia, no qual a história tem início, em que estão na torre do sino do colégio – uma situação bastante inusitada e, por que não, improvável –, ambos tentando acabar com suas vidas e desistindo da ideia.

Violet sofreu a perda da irmã em um acidente de carro, Finch tem seus altos e baixos – seja pela predisposição genética, seja por outros fatores. Violet possuía um blog com sua irmã, mas após sua morte, as palavras se calaram e ela se sente incapaz de compor uma linha que seja, e nunca mais entrou em um carro. Finch compõe músicas e frases aleatoriamente, e adora dirigir em alta velocidade.

Um trabalho de geografia unirá os dois – com bastante insistência de Finch e relutância de Violet; para ser sincera, acho ele um pouco stalker (perseguidor) – para desbravarem lugares diferentes em Indiana. Foi bastante interessante descobrir que muitos desses lugares de fato existem e a autora possui propriedade para falar dos assuntos abordados, de forma bem-humorada e uma escrita contagiante.

Narrado em primeira pessoa e intercalando os pontos de vista dos personagens principais, os assuntos retratados neste livro giram em torno de suicídio, depressão, violência, bipolaridade, bullying, sexo, dentre outros. Voltando ao que disse sobre a capa e a sinopse, não se deixe “enganar”. Mesmo que retratados de maneira mais sutil e natural, são assuntos pesados e polêmicos. Talvez não seja um livro tão juvenil, como sua aparência faz crer.

O que eu menos gostei, além da intromissão excessiva de Finch em vários momentos, foi o fato dele e suas irmãs terem que visitar aquele pai surtado e violento todos os finais de semana. Aquilo é um abuso! O que mais gostei foi do carisma de Finch – pelo qual me apaixonei, mesmo ele sendo sinônimo de problema, muito inconstante e sem saber exatamente qual Finch ele é, devido às várias personalidades que encarna. Será um personagem que dificilmente sairá de minha mente.  

Conversando com um amigo, ele disse ter sido totalmente surpreendido e ficado emocionado com o final. Já comigo, desde o começo eu previa aquele desfecho e, apesar de ter achado uma baita sacanagem, não cheguei a chorar e achei condizente com a mensagem que a autora quis passar. Conforme aprendi em “Como Eu Era Antes de Você”, de Jojo Moyes (Resenha AQUI), não se pode ajudar alguém que não quer ser ajudado.
   
    
Frases Marcantes

“Acordado, sim; mas completamente vazio, como se alguém tivesse drenado meu sangue.”

“Devo mencionar que sou um brilhante desviador de assunto. Tão brilhante que conseguiria bolsa integral na faculdade pra me formar nisso, mas pra quê? Já sou mestre nessa arte mesmo.”

“Não sou perfeita. Tenho segredos. Sou uma bagunça. Não só meu quarto, mas eu mesma. Ninguém gosta de bagunça. As pessoas gostam da Violet que sorri.”

“ — Não dizem que não existe hora melhor do que agora? Você melhor do que ninguém deveria saber que só o agora é garantido.”

“É melhor manter as palavras tristes, ruins, más, desagradáveis separadas, onde possam ser vigiadas pra gente ter certeza de que não vão nos pegar de surpresa.”

“ — Acabou o inverno. Finch, você me trouxe a primavera.”

“O que percebo agora é que o que importa não é o que a gente leva, mas o que a gente deixa.”


Capa e Diagramação


A capa é aveludada e predomina a cor azul, muito mais bonita do que a original! O título é em preto envernizado, assim como as duas pessoas. Os capítulos sempre se iniciam em uma nova página, que são levemente amareladas, e intercalam os pontos de vista de Violet e Finch. A diagramação está bem-feita e possui algumas ilustrações bem singelas. Possui orelhas.
A letra possui um tamanho médio, o espaçamento entre linhas é bom e a numeração das páginas fica na parte central inferior. Há alguns erros de revisão/digitação, que não prejudicam a leitura e provavelmente passarão despercebidos pela maioria. 



Book Trailer



Nota



Autora

Jennifer Niven é autora de quatro romances para adultos – American Blonde, Becoming Clementine, Velva Jean Learns to Fly e Velva Jean Learns to Drive –, três livros de não ficção – The Ice Master, Ada Blackjack e The Aqua Net Diaries – e um livro de memóris sobre suas experiências no ensino médio. Apesar de ter sido criada em Indiana, hoje vive com o noivo e três gatos em Los Angeles, seu lugar preferido para andanças.


Onde Comprar



O livro faz parte de nosso acervo pessoal. A resenha realizada aponta pontos positivos e/ou negativos encontrados pelo autor do post no decorrer da leitura. A opinião do autor é pessoal e independente da editora e/ou autora do livro.


Postado por


2 comentários :

  1. Oi Amanda,

    Todas as resenhas que vejo deste livro falam bem dele.
    Comprei o e-book mas ainda não li.
    Esta na lista.
    Amei o post, super completo.
    Beijos

    http://tear-de-informacoes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lais, fico contente que tenha gostado da postagem!
      Dê uma chance ao livro, é bem escrito.
      Beijos.

      Excluir