.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

RESENHA #106: MISTERIUS IN VERSUS, DE A. T. CORREIA

Ficha Técnica

Título Nacional: Misterius In Versus (Skoob
Autor: A. T. Correia
Editora: Chiado
Ano: 2016
ISBN: 9789895169610
Páginas: 230
Formato: 21,7 X 14,0 cm
Acabamento: Brochura
Gênero: Ficção






Sinopse

Eduardo, um pacato bibliotecário do arquivo público em Portugal, cai numa armadilha montada por membros de uma sociedade secreta e passa a ser alvo de chantagem, que o impele a uma busca por tesouros perdidos e mistérios inimagináveis.
Sua busca o leva a descobrir mensagens encripitadas numa das maiores obras da língua portuguesa: Os Lusíadas, de Camões. Seu caminho passa por templos, locais sagrados e destinos turísticos entre o velho continente e a cidade do Rio de Janeiro.


Opinião

Eduardo Cruz é um bibliotecário que trabalha na Torre do Tombo, em Lisboa, Portugal. Ao revisar uma pasta aparentemente comum intitulada “Ordem dos Cavaleiros de Cristo – Período de D. Dinis – Miscelâneas”, ele vê sua pacata vida virada do avesso, ao tomar para si um papel com alguns comandos meio sem sentido e insignificante, num primeiro olhar.

Após o roubo de um exemplar especial de “Os Lusíadas” e da tal pasta, acaba sendo chantageado por um homem chamado “O Franco”. Eduardo é obrigado a viajar para o Rio de Janeiro, realizar furtos, desvendar estrofes de Camões em “Os Lusíadas” e até omitir fatos da polícia. Mas, para ser sincera, ele possui um espírito aventureiro preso em si, querendo viver toda a ação que encontra nos livros amados, e logo passa a sentir a necessidade de localizar o túmulo de Maria Madalena, com quem Cristo supostamente teve filhos e dos quais os reis merovíngios são descendentes.

Tendo como pano de fundo a cidade maravilhosa, Portugal e França, o autor vai tecendo toda uma história baseada nas estrofes do renomado Camões, somando a isto a Maçonaria e um fato muito importante omitido da população em geral. A narrativa em terceira pessoa alterna entre passado e presente, tendo como personagem principal o bibliotecário, mas passando brevemente por outros personagens.

Conforme comentei com uma amiga, prefiro acreditar que o autor fez uma ótima pesquisa antes de escrever o livro, e não tenho o hábito de me aprofundar nos dados históricos apresentados durante a leitura. Desconheço a obra de Camões, pois poesias e afins não são meu forte. Então, minha opinião será baseada estritamente na construção da parte teoricamente fictícia exposta pelo autor nesta obra.

Gostei muito da escrita dele, mesmo com um ou outro erro apresentado na revisão. Correia soube prender minha atenção, o que não é tão fácil levando em conta toda a carga histórica por trás da história construída em “Misterius In Versus”. A partir da página 80, li numa tacada só, sem intervalos.

O relacionamento de Eduardo e Cláudia, sua namorada, não ficou nada meloso, algo que para mim é preferível. Só achei meio estranha a ligação que ele cria com seu chantagista, apesar dele não ter muitas opções, de qualquer maneira. O autor, muito provavelmente querendo exaltar sua terra natal, descreve o Rio de Janeiro como sendo belíssimo, super limpo e organizado, algo que, em minha opinião, está bem longe de ser realidade.

O final foi meio utópico, mas teve uma parte um pouco antes que eu soltei um “Wow!”. Portanto, mesmo não sendo exatamente surpreendente, é uma aula de História, uma bela homenagem aos portugueses e cariocas, e sua leitura vale muito a pena!  
 

Frases Marcantes

“ — Nossa existência ficaria sem sentido e efêmera sem um pouco de mistificação.”

“ — Parece que quanto mais óbvia é a explicação, mais cegos ficamos perante a luz.

“ É como se esse instinto ancestral sempre tivesse sido contido e agora aflorasse à pele, passou a se perguntar se esta não era sua verdadeira personalidade, que estava aprisionada dentro de uma pesada tampa.”


Capa e Diagramação


A capa consegue passar bem o clima do livro, e é toda fosca. Os capítulos sempre se iniciam em uma nova página, que são levemente amareladas e resistentes. A diagramação é bem simples. Possui orelhas.
A letra possui tamanho bom, o espaçamento entre linhas também é bom e a numeração das páginas fica na parte central inferior. Há alguns erros de revisão/digitação, mas que não chegam a prejudicar a leitura.


Nota



Autor

A. T. Correia é carioca, filho de pais portugueses, atua em sua cidade natal como empresário em diversos ramos de atividade e no momento cursa graduação em relações internacionais. Desde novo, aprendeu com sua família a gostar de história, em especial aquela que liga o Brasil a Portugal. Desde criança, tomou gosto pela leitura de qualquer coisa que se referisse a mistérios e segredos guardados pelo tempo, qualquer fato que a cronologia escondesse com um véu de brumas era fruto de sua curiosidade, que sempre foi bastante aguçada.
Esta vontade de conhecer aquilo que se esconde por trás da história objetiva o levou a conjecturar uma série de teorias que se entrelaçam neste livro de ficção. O livro conta, como pano de fundo, com lugares que existem na vida real e que fazem parte da vivência pessoal do autor.


Onde Comprar



O livro é uma cortesia do blog Tô Pensando em Ler, em parceria com Lilian Comunica. A resenha realizada aponta pontos positivos e/ou negativos encontrados pelo autor do post no decorrer da leitura. A opinião do autor é pessoal e independente da editora e/ou autor do livro.


Postado por


Nenhum comentário :

Postar um comentário