.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

sábado, 19 de novembro de 2016

RESENHA #107: A JOIA, DE AMY EWING

Ficha Técnica

Título Nacional: A Joia (Skoob)
Título Original: The Jewel (Goodreads)
Série: A Cidade Solitária – Livro 1
Autora: Amy Ewing
Editora: Fantasy – Editora Leya
Ano: 2015
ISBN: 9788544101841
Páginas: 352
Formato: 20,8 X 13,8 cm
Acabamento: Brochura
Gênero: Fantasia, Distopia, Young Adult




Sinopse

Joias significam riqueza, são sinônimo de encanto. A Joia é a própria realeza. Para garotas como Violet, no entanto, a Joia quer dizer uma vida de servidão. Violet nasceu e cresceu no Pântano, um dos cinco círculos da Cidade Solitária. Por ser fértil, Violet é especial, tendo sido separada de sua família ainda criança para ser treinada durante anos a fim de servir aos membros da realeza. Agora, aos dezesseis anos, ela finalmente partirá para a Joia, onde iniciará sua vida como substituta. Mas, aos poucos, Violet descobrirá a crueldade por trás de toda a beleza reluzente - e terá que lutar por sua própria sobrevivência. Quando uma improvável amizade oferece a Violet uma saída que ela jamais achou ser possível, ela irá se agarrar à esperança de uma vida melhor. Mas uma linda e intensa paixão pode colocar tudo em risco! Em seu livro de estreia, Amy Ewing cria uma rede de intrigas e reviravoltas na qual os ricos e poderosos estão mais envolvidos do que se possa imaginar, e onde o desejo por saber o destino de Violet manterá o leitor envolvido até a última página.



Opinião

Violet Lasting começa a nos contar sua história no dia anterior ao Leilão. Violet vive na Cidade Solitária com outras substitutas, assim como ela. No próximo dia, ela dependerá de sua sorte – se é que se pode chamar de sorte ser leiloada – para encontrar uma boa família que a compre. Raven, sua melhor amiga, também será leiloada. Ambas pertencendo a lotes altos, serão provavelmente leiloadas para pessoas que compõem a Joia, círculo das pessoas mais ricas e influentes desta sociedade distópica.

Mas o que uma substituta tem de tão diferente, para ser tão valiosa e, ao mesmo tempo, ter um destino tão infeliz, longe de sua família e sem poder decidir seu próprio futuro? No tempo em que passam na Cidade Solitária, as substitutas aprimoram um dom natural que já possuem, dos três Presságios.

Além da Cidade Solitária e da Joia, ainda há outros círculos: Banco, Fazenda, Fumaça e Pântano, sendo que este último é o que provê os círculos superiores com as substitutas, pois só algumas garotas do Pântano possuem os Presságios, sendo examinadas por médicos assim que atingem a puberdade. Esconder jovens de serem examinadas ou fugir dos exames é passível de punição severa, e esta informação é muito importante em pelo menos dois momentos deste livro. 

Mas, de novo, toda essa explicação não justifica a importância das substitutas, não é? Bem, e se eu disser que as mulheres das camadas superiores não conseguem engravidar, e por isso necessitam comprar as substitutas para terem seus bebês? Chocante, né? E isso não é nem o começo da trama toda, eu garanto.

Não adentrarei no mérito de explicar os três Presságios, pois uma boa parte do livro serve para entendermos como eles funcionam e para que servem. Só direi que a maneira como eles são usados influenciam no "produto final" - no caso, o bebê. Ah, e cada família rica só pode ter dois filhos, para manter um certo equilíbrio no poder. Se não estou enganada, devem ser um menino e uma menina, para futuras uniões vantajosas.

Comprei este livro basicamente porque gostei da capa e da sinopse, e imaginei que seria semelhante a “A Seleção” (Resenha AQUI). Porém, “A Joia” é muito mais do que aparenta, a princípio, e difere da obra de Kiera Cass basicamente porque Violet não tinha sequer a opção de escolher outro destino, só para começar. Ambas, no entanto, e como é comum em Distopias, apresentam o lado obscuro de governos ditatoriais e a opressão sofrida pela população "comum".

Com uma história bem construída, a autora conseguiu ser original, mostrando de um lado a riqueza, e do outro, a pobreza; e indo além, ao expor toda a podridão e mentiras que ouro e joias podem esconder. Violet é uma personagem principal forte e que vai crescendo ao longo da obra, ao entender o funcionamento desse sistema e sentir na pele os perigos e dificuldades da servidão. Ash, o qual eu não mencionei de propósito até agora, é apaixonante. Todos os personagens são bons, alguns serão amados e outros, fortemente odiados. O Executor, principal responsável pelo manutenção do sistema, teve um papel secundário neste volume.

Tudo isso que eu expliquei é só a ponta do iceberg. A leitura flui muito bem e consegue surpreender, especialmente no final, deixando um gancho para o próximo volume. Recomendadíssima!
   

Frases Marcantes

“ — Vocês são muito preciosas para a realeza. Eles querem cuidar de vocês pelo resto de suas vidas. Não é maravilhoso? Eles são muito generosos.”

“Seguro a mão estendida e deixo que ela me levante, mas a semente do medo cria raízes dentro de mim. Não gostei da cara dela quando disse que vou ficar bem.”

“ — Ela achou que podia mudar as regras. É a desgraça para o trono e uma vergonha para o título que ostenta, e ontem ela aprendeu que ninguém é intocável.”

“ — É difícil se lembrar de quem você é quando está o tempo todo tentando fingir ser alguém que não é.”

“ — Roubou meu corpo e minha vida, e espera que eu agradeça?”


Capa e Diagramação


Acho que esta capa lembra 11 em cada 10 pessoas, as capas da série “A Seleção”. É bem bonita, creio que casa perfeitamente com a história. Os capítulos sempre se iniciam em uma nova página, que são levemente amareladas. A diagramação é simples. Possui orelhas.
A letra possui um tamanho bom, o espaçamento entre linhas também é bom e a numeração das páginas fica na parte inferior externa. Contei só alguns erros de revisão/digitação, que não chegam a prejudicar a leitura.


Book Trailer



Nota



Autora

Amy Ewing cresceu em uma pequena cidade nos arredores de Boston, onde sua mãe bibliotecária incutiu a ela um profundo amor pela leitura. Amy mudou-se para Nova York em 2000, para estudar teatro na Universidade de Nova Iorque. Ela trabalhou em restaurantes, como assistente administrativa, babá, e representante de vendas para um distribuidor de vinho antes de começar a escrever.



Onde Comprar



O livro faz parte de nosso acervo pessoal. A resenha realizada aponta pontos positivos e/ou negativos encontrados pelo autor do post no decorrer da leitura. A opinião do autor é pessoal e independente da editora e/ou autora do livro.


Postado por


Nenhum comentário :

Postar um comentário