.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

RESENHA #114: A BONECA FANTASMA, DE FERNANDO NERY

Ficha Técnica

Título Nacional: A Boneca Fantasma (Skoob
Autor: Fernando Nery
Editora: Percurso
Ano: 2016
ISBN: 9788556370082
Páginas: 136
Formato: 20,7 X 13,9 cm
Acabamento: Brochura
Gênero: Suspense, LGBT, GLS, Terror
Recomendação: 18+





Sinopse

Crescendo em meio a bonecas, Laura adquiriu um hábito incomum: costurar vestidos para os brinquedos. Dessa maneira, tornou-se destaque ainda na infância, quando costurava para as colegas da escola. Na fase adulta, contudo, Laura levou a carreira de estilista adiante, mas manteve o gosto juvenil: suas modelos jamais deixariam de ser bonecas.
Cativando a atenção de grandes celebridades e pessoas comuns, Laura se destacou mundialmente, quando os modelos que as bonecas utilizavam começaram a ditar moda.
Tal como qualquer pessoa, amores não deixaram de surgir em sua vida. Mas, após a chegada de determinada mulher, tudo tomou um rumo diferente.
"Não há nenhum mal em falar com bonecas, o problema é quando as bonecas resolvem responder", diriam os sábios...


Opinião

Conheci o autor Fernando Nery através de uma amiga em comum, e coincidentemente, um grupo de book tour do qual participo disponibilizou seu livro para leitura.

Devido à conversa que tive com ele e o tanto que ele divulga seu livro, criei muita expectativa em cima desta história. E, nada contra o autor, de verdade, mas foi uma decepção muito grande, creio que a maior de 2016. Tentarei explicar o porquê, então não pare a leitura da resenha nesta linha.

Laura é uma moça, aparentemente comum, que viu sua vida mudar através de uma paixão de sua infância: costurar vestidos para bonecas. Agora, internacionalmente famosa, ela conhece a atriz Merlin, uma das inúmeras celebridades que acaba ganhando uma boneca com seu nome e com um vestido exclusivo feito por Laura.

As duas logo se tornam super amigas e as fofocas na mídia começam a aparecer, sendo a principal de que elas seriam lésbicas e teriam um caso. Merlin sugere que ambas arrumem namorados para terminar com os boatos. Rafael é o namorado bem dotado de Laura e Rodrigo é o namorado sem tantos dotes de Merlin.

Acontece que ambas realmente se interessam uma pela outra, porém não têm coragem de assumirem tal sentimento. É quando Laura começa a transmitir todo seu desejo pela Merlin real para a Merlin boneca, inclusive chegando “aos finalmentes”, se é que posso colocar assim. Ops, esqueci de mencionar... Laura possui um quarto só para a Merlin boneca, com vestidos feitos exclusivamente só para sua boneca. E tem mais, elas "conversam", pelo menos é nisso que a protagonista acredita.

Daí em diante, é uma suruba praticamente generalizada, em que Laura é a mais promíscua (para não mencionar estranha e louca). Inclusive, devido ao teor da história, não a recomendo para menores de 18 anos.

Agora, por que eu não gostei? São tantos os motivos, precisarei enumerar:

1) Laura é uma protagonista que não cativa, bem-sucedida, mas insegura. Sem contar a história com a boneca, que pelo amor! Só pode ser demência + bipolaridade, pra justificar os atos dessa mulher! Tratamento nela já!

2) Rafael é um cara SUPER passivo. Ele chega a pegar Laura “no ato” com a boneca e, em seguida, transa com ela. WTF?!

3) Os demais personagens são bastante secundários e também não cativam. Exceto o padre, talvez. Me senti representada por ele, com a estranheza que toda essa promiscuidade me causou.

4) A mistura de narrativa em primeira e terceira pessoa (cada capítulo em uma, intercalados entre Laura e o narrador misterioso) tinha tudo para atrair, mas só atrapalhou. Há repetição de fatos, o que torna a leitura não tão agradável.

5) Os erros de digitação/revisão foram “justificados” no começo e ao final, mas esse argumento não me convenceu totalmente. Pareceu mais uma desculpa por qualquer erro que porventura tivesse passado.

6) As partes de sexo, que poderiam ter sido melhor exploradas, só me faziam arregalar os olhos, de tão absurdas. Não existiram "sustos de prazer", de jeito nenhum.

7) Não senti nem um pingo de medo, só asco mesmo. Então, não chega a ser um terror, como é vendido. Ah, e a tentativa de um final macabro não me chocou nadinha, pois eu já estava, digamos, anestesiada.

Mas, Amanda, só teve coisa ruim nesse livro? Hum, basicamente sim, rs. Entretanto, há que se tirar lições, mesmo de algo que não agradou. Aprendi a não confiar somente na palavra do autor sobre sua obra e no quanto ela é magnífica, revolucionária. Aprendi que toda leitura é válida, pois só podemos criticar, com embasamento, algo que conhecemos. Aprendi que não falarei bem de um livro que não gostei, em hipótese alguma, mesmo achando seu autor(a) bacana – não que eu já tenha feito isso, de qualquer modo.

Haverá um próximo volume (ainda não entendi exatamente por qual motivo), e li o primeiro capítulo ao final do livro. Parece que será melhor, porém não pretendo me aventurar. Se a intenção de Fernando era causar polêmica, ele provavelmente conseguiu, mas não comigo. Achei a história desnecessária, mesmo tendo lido rapidamente (assim dói menos), e não sinto vontade de ler mais nada do autor. Portanto, não recomendo.

  
Frases Marcantes

“Fiquei levemente espantada comigo mesma. Sempre sonhei com aquela cena e imaginava-me gloriosa. Entretanto, lá eu estava com medo de tudo. Pensei em interromper. Tive a ideia de fugir. Mas resisti ao pensar que depois me arrependeria e entreguei-me totalmente.”

“Dessa vez, percebi que o velhinho ficou escandalizado e totalmente irritado. A moralidade do padre era algo impecável. Em minha cabeça, sentia que ele estava totalmente certo. Mas o prazer de fazer coisas erradas foi superior a tudo e mantive-me em minhas práticas pecaminosas.”

“Nem pensei em voltar para o quarto da minha boneca. Sua presença era um fantasma em minha vida e fantasmas devem ficar no mundo dos mortos.”


Capa e Diagramação


A capa é bacana, se encaixa bem com a história. Os capítulos sempre se iniciam em uma nova página ímpar e com letras brancas, devido ao fundo preto. O restante das páginas é levemente amarelada e com letras pretas. Possui orelhas.
A fonte é grande, o espaçamento é bom e a numeração das páginas é na parte inferior externa, exceto em início de capítulos, cuja numeração é inexistente. Encontrei erros de digitação/revisão, mas a maioria não prejudica a leitura. De acordo com as explicações no começo e ao final do livro, estes erros são propositais.


Book Trailer



Nota




Autor

Fernando Nery, conhecido nas redes sociais como Filósofo dos Livros, nasceu em Santos/SP. O seu gosto pela leitura começou quando ainda era bem pequenino. Acredita que os livros nos ajudam a pensar sobre as questões da vida. Não se trata apenas de uma atividade de entretenimento, mas da possibilidade de refletir sobre as atitudes humanas e de procurar o aperfeiçoamento delas. O livro "A Boneca Fantasma" é a sua primeira obra publicada pela Editora Percurso. O autor pretende escrever outros livros, pois se denomina como um escritor que tem muitas ideias na mente, porém, que ainda não as colocou no papel. Atualmente, revela seu amor pelos livros através de seu blog e do seu canal do Youtube, ambos carregam o mesmo nome: Filósofo dos Livros.
E-mail: fernandojeans75@gmail.com
Blog: http://filosofodoslivros.blogspot.com.br/
Canal do Youtube: https://www.youtube.com/c/FilósofodosLivros


Onde Comprar



O livro é uma cortesia da blogueira Monika Andreotti e do autor Fernando Nery. A resenha realizada aponta pontos positivos e/ou negativos encontrados pelo autor do post no decorrer da leitura. A opinião do autor é pessoal e independente da editora e/ou autor do livro.


Postado por




2 comentários :

  1. Falar com as bonecas no tem problema e se elas resolverem responder... Com certeza seria legal.....😆

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado pelos comentários.
    Eu pelo menos quando leio algo de um autor que não goste, não digo que nunca lerei mais nada que ele escrever. Um motivo é que gosto é algo subjetivo. Outro é que autores podem melhorar. Muitas pessoas falam que Jane Austen escreveu livros rasos no início de sua carreira, mas depois ela melhorou muito.
    A primeira obra de Jorge Amado também é apontada como ruim e houve uma melhora incrível que o tornou um artista consagrado.
    De qualquer forma, renovo meu agradecimento pelas suas palavras. Servirão para eu me avaliar e melhorar.
    Abraços.

    ResponderExcluir