.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

RESENHA #118: DEPOIS DE VOCÊ, DE JOJO MOYES

Ficha Técnica

Título Nacional: Depois de Você (Skoob)  
Título Original: After You (Goodreads
Série: Como Eu Era Antes de Você – Livro 2
Autora: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Ano: 2016
ISBN: 9788580578645
Páginas: 320
Formato: 23,0 X 16,0  cm
Acabamento: Brochura
Gênero: Romance, Drama




Sinopse

Quando uma história termina, outra tem que começar.
Com mais de 5 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, Como eu era antes de você conta a história do relacionamento entre Will Traynor e Louisa Clark, cujo fim trágico deixou de coração apertado os milhares de fãs da autora Jojo Moyes.
Em Depois de você, Lou ainda não superou a perda de Will. Morando em um flat em Londres, ela trabalha como garçonete em um pub no aeroporto. Certo dia, após beber muito, Lou cai do terraço. O terrível acidente a obriga voltar para a casa de sua família, mas também a permite conhecer Sam Fielding, um paramédico cujo trabalho é lidar com a vida e a morte, a única pessoa que parece capaz de compreendê-la.
Ao se recuperar, Lou sabe que precisa dar uma guinada na própria história e acaba entrando para um grupo de terapia de luto. Os membros compartilham sabedoria, risadas, frustrações e biscoitos horrorosos, além de a incentivarem a investir em Sam. Tudo parece começar a se encaixar, quando alguém do passado de Will surge e atrapalha os planos de Lou, levando-a a um futuro totalmente diferente.



Opinião

Este livro é uma continuação de “Como eu Era Antes de Você” e pode conter SPOILERS. Leia a resenha AQUI.

Após a morte de Will, parecia que Lou seguiria seus sonhos, ingressando na universidade. Porém, não é isso que acontece. Após uma temporada em Paris, Lou se muda para Londres, onde compra um apartamento com o dinheiro que Will lhe deixou, e passa a trabalhar em um bar no aeroporto. É praticamente a mesma vida medíocre de antes, exceto que ela já não mora mais com os pais, é solteira e bebe (MUITO).

E é justamente após uns copos a mais que Lou cai de seu andar e fica toda quebrada, sendo resgatada por uma equipe e se vendo obrigada a voltar para a casa dos pais, que pensam que ela, na verdade, tentou se suicidar. Quando se recupera, os pais permitem que ela volte a viver sozinha, com uma condição: fazer terapia de luto, no Grupo Seguindo em Frente. É cada figura que ela conhece lá, vou te contar...

O que era pra ser um tédio, acaba lhe trazendo Sam Fielding, um dos paramédicos que a resgatou quando ela sofreu o acidente. Mas, ao mesmo tempo, ela deve lidar com o fantasma de Will em sua vida e com Lily Houghton-Miller, uma jovem problemática e intratável que a procura por conta de seu passado com Traynor.

Em muitos momentos eu quis dar um chacoalhão na protagonista, pra ela deixar de ser tonta. Porém, ao mesmo tempo, compreendia suas decisões, ainda que erradas para mim. Quem nunca errou, que atire a primeira pedra. O seu chefe é péssimo, mas a “fantasia” que Lou é obrigada a usar me arrancou algumas risadas.

Numa certa cena, em que Lou está com sua mãe e irmã, vemos que cada pessoa é um ser complexo, muito além de qualquer estereótipo. Aliás, a mãe de Lou resolve fazer uma pequena revolução em sua pacata vida, adorei!

Li bastante que os fãs acharam este livro desnecessário, mas Jojo conseguiu me tocar ainda mais com este volume. E, me desculpe quem pensa o contrário, mas serviu para corroborar o que eu já achava antes: o amor entre Lou e Will não era o tipo de amor romântico.


Frases Marcantes

“Sorrio, apesar de achar que todos os bebês têm cara de brioche.”

“Assim, tendo perdido minha família e o homem que eu amava, todos os vínculos que eu possuía com quem eu era foram cortados. Tinha a sensação de que eu simplesmente saíra voando, sem amarras, para algum universo desconhecido.”

“E, no fim das contas, de que adiantava ficar reexaminando nossa tristeza o tempo todo? Era como cutucar uma ferida e se recusar a deixá-la sarar. Eu sabia o que tinha vivido. Sabia qual tinha sido meu papel. De que adiantava repassar isso?”

“Esse anonimato era conveniente, sobretudo para mim. Eu viera para cá, afinal de contas, para escapar da minha história, da sensação de que todo mundo sabia tudo a meu respeito.”

“ — Mais alguma coisa que precisa me contar. Você sabe, fora pular de prédios e trazer para casa filhos há muito tempo perdidos. Não está entrando para o circo nem adotando uma criança do Cazaquistão ou coisa assim?”

“Algo primitivo me dizia que eu estava no lugar errado, que estava perdendo alguma coisa.
Era nesses momentos que eu mais me sentia deixada para trás.”

“ — Sabe o que me deprime? O fato de você ficar prometendo levar um tipo de vida e depois se sacrificar por qualquer criatura desamparada que apareça na sua frente.”

“Às vezes eu tinha a sensação de que todos nós estávamos no mesmo mar de sofrimento, relutando em admitir para os outros até que ponto estávamos apenas acenando ou já nos afogando.”

“No grupo aprendemos que a depressão adora um vácuo. Era muito melhor estar fazendo algo, ou pelo menos planejando. Às vezes a ilusão de felicidade podia inadvertidamente criar um vácuo.”

“Cada uma de nós se viu surpreendentemente interessada na vida e nas opiniões das outras, como se de repente tivéssemos nos dado conta de que poderíamos ter outro papel além do a inteligente, a caótica e a que faz todo o trabalho doméstico.”

“Imaginei a silhueta de Nova York e me dei conta de que ninguém é realmente livre. Talvez toda liberdade – física e pessoal – só viesse às custas de outra pessoa ou outra coisa.”

“Às vezes reparo na vida das pessoas à minha volta e me pergunto se não estamos todos destinados a deixar um rastro de estrago.”


Capa e Diagramação



A capa é toda fosca, exceto pelo título do livro e o pássaro, o mesmo ocorrendo na lombada. A editora manteve a capa original, com alguns acréscimos. Os capítulos sempre se iniciam em uma nova página, que são amareladas. Possui orelhas.
O tamanho da fonte e o espaçamento são reduzidos, a numeração das páginas fica na parte superior do lado externo, e as páginas que iniciam capítulos não são numeradas. A diagramação é bastante simples. Há alguns erros de revisão/digitação que não chegam a prejudicar a leitura.


Leia um Trecho



Book Trailer



Nota



Autora

Jojo Moyes é escritora e jornalista. Foi correspondente do jornal The Independent por dez anos, de onde saiu para se dedicar integralmente à carreira de escritora. É autora de A última carta de amor, Como eu era antes de você, A garota que você deixou para trás e Um mais um, todos aclamados pela crítica. Como eu era antes de você vendeu cinco milhões de exemplares em todo o mundo, ocupou o topo da lista de mais vendidos em nove países e foi adaptado para o cinema com Sam Claflin (Jogos vorazes) e Emilia Clarke (Game of Thrones) nos papéis de Will e Lou. Jojo Moyes é uma das poucas autoras a ter ao mesmo tempo três livros na lista de mais vendidos do The New York Times. Ela mora em Essex com o marido e os três filhos.


Onde Comprar



O livro faz parte de nosso acervo pessoal. A resenha realizada aponta pontos positivos e/ou negativos encontrados pelo autor do post no decorrer da leitura. A opinião do autor é pessoal e independente da editora e/ou autora do livro.


Postado por


2 comentários :

  1. Contudo, ele é exatamente como deveria ser: uma história sobre como superar a perda e recomeçar. Então esperem do livro muitas dúvidas, medos, inseguranças, reviravoltas, trapalhadas (típicas de Lou e da sua família), risadas e paixões. E lembre-se que esse livro é sobre a vida real – a vida dolorosa e imperfeita que levamos, a vida que constantemente nos surpreende e ensina.

    ResponderExcluir
  2. Ainda não li a série mas fiquei muito curiosa sobre esse segundo livro, uma vez que assisti ao filme referente ao primeiro, mas também não li ainda o livro Como eu era antes de você. Assim, estou devendo a mim mesma as duas leituras. Gostei da sua resenha, embora tenha várias frases do livro.

    ResponderExcluir