.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

RESENHA #122: A GAROTA DO CALENDÁRIO - OUTUBRO, DE AUDREY CARLAN

Ficha Técnica

Título Nacional: A Garota do Calendário – Outubro (Skoob)  
Título Original: Calendar Girl: October (Goodreads
Série: A Garota do Calendário – Livro 10
Autora: Audrey Carlan                 
Editora: Verus – Grupo Editorial Record
Ano: 2016
ISBN: 9788576865315
Páginas: 139
Formato: 20,8 X 13,4 cm
Acabamento: Brochura
Gênero: Romance, Erótico/Hot
Recomendação: 18+


Sinopse

Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato.
A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser. Dinheiro fácil.
Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser...
Outubro virá com um sopro de novidade para Mia. Agora que as coisas estão quase todas resolvidas em sua vida, ela pode se estabelecer com o homem que ama e dar uma nova direção para sua carreira.


Opinião

Este livro é o décimo da série “A Garota do Calendário” e pode conter SPOILERS dos livros anteriores. Leia as resenhas de Janeiro, Fevereiro, Março, Abril, Maio, Junho, Julho, Agosto e Setembro.

O inferno astral de Mia continua, ao menos no começo do livro. Ela é obrigada a voltar para uma casa em Malibu, só que sem seu Wes. Mesmo sabendo que ele está bem, o simples fato de tê-lo longe e imaginar tudo pelo que ele passou, a atormenta.

Mas, enfim, eles se reencontrarão, e é de se imaginar que tudo ficará bem, não é? Pois engano seu! O Wes passa a ter pesadelos todas as noites, e em alguns momentos, chega até a imaginar a Mia no lugar da Gina, sofrendo tudo o que a outra sofreu nas mãos dos terroristas.

Ah, mas é claro que ele ficaria com trauma, né? Ver pessoas sofrendo, morrendo e passar privações não pode fazer bem para ninguém! Só que ele não admite precisar de uma ajuda médica, ao menos em um primeiro momento. E Mia resolve ajudá-lo com um tratamento mais caseiro, digamos... através de sexo! Sério, isso me parece bastante descabido, ainda mais por ele até machucá-la, em determinados momentos, e ela ficar à mercê de suas necessitados mais obscuras.

Além disso, Mia continua com seu ciúme injustificado de Gina, que agora não passa de uma sombra do que já foi. Mas, em certa parte da história, a presença da atriz ajudará na recuperação de Wes.

Se por um lado sua vida amorosa está indo bem (é, nem tanto assim), por outro lado a vida profissional segue rumo ao auge. Tendo sua dívida quitada (ou melhor, a dívida do pai), Mia prosseguirá com sua carreira, ou quase. Ela fará uma pequena participação no programa do Dr. Drew Hoffman, num quadro chamado “Vida bela”. E a idealização deste quadro também ficará por sua conta, então ela estará livre, de certa forma, para colocar a criatividade em ação.

Esse foi um livro da série que não me empolgou tanto, em grande parte por conta da relação meio doentia que Mia e Wes passam a viver e baseada em sexo. Então que se, por uma desgraça do destino, os terroristas tivessem cortado o piu-piu dele, não haveria mais amor?! Juro que é essa a impressão que dá! Ainda bem que, como todo romance, inclusive neste hot, no fim tudo se ajeita.
     

Frases Marcantes

“Às vezes as lembranças machucam, mesmo as muito bonitas.”

“Meu amor era seu oxigênio, e eu viveria através do simples ato de amá-lo.”

“ — É fácil. Eu tenho você pra me apoiar. Acho que isso é parte de nós dois. Coisas boas, ruins e até mesmo feias podem acabar sendo belas se enfrentarmos juntos. Separados, nós não temos chance. Juntos, podemos sobreviver a qualquer coisa.”

“Viver envolvia muitas pessoas, relacionamentos, amores e medos. Como qualquer coisa na vida, não importava o quê, tudo girava em torno do simples ato de amar ou do medo do desconhecido.”


Capa e Diagramação


A edição é menor do que um livro “normal”, mas não chega a ser pocket (livro de bolso). A capa é uma das minhas favoritas, por ter azul e mostrar bastante sensualidade. Os capítulos iniciam sempre numa nova página, com o número correspondente e uma figura que me parece uma pimenta. As páginas são amareladas e possui orelhas.
A fonte das letras e o espaçamento são bons. A numeração das páginas é no centro, na parte inferior. Encontrei três erros de digitação/revisão que não chegam a atrapalhar na leitura.


Book Trailer



Nota



Autora

Audrey Carlan escreve histórias de amor criadas para proporcionar aos leitores uma experiência sexy e romântica. Além de A garota do calendário, ela é autora das séries Falling e Trinity. Seus livros já figuraram nas listas de mais vendidos de jornais como New York Times, Washington Street Journal e USA Today.
Audrey mora na Califórnia com o marido e dois filhos. Quando não está escrevendo, ela gosta de praticar ioga, tomar uma taça de vinho com as amigas e ler romances picantes.


Onde Comprar



O livro faz parte de nosso acervo pessoal. A resenha realizada aponta pontos positivos e/ou negativos encontrados pelo autor do post no decorrer da leitura. A opinião do autor é pessoal e independente da editora e/ou autora do livro.


Postado por


Um comentário :

  1. Depois de tudo que o casal passou ainda tem um relacionamento meio doentio a base de sexo, de boa mas acho que eles mereciam mais. Fiquei feliz que a Mia conseguiu pagar sua dívida, e vai ter seu auge da carreira. Estou louca por esse livro.

    ResponderExcluir