.
Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

RESENHA #32: A CHEGADA

Ficha Técnica

Título Nacional: A Chegada
Título Original: Arrival
Lançamento: 24 de Novembro de 2016 (1h56min)
Dirigido por: Denis Villeneuve
Com: Amy Adams, Jeremy Renner, Forest Whitaker, Michael Stuhlbarg, Tzi Ma
Nacionalidade: EUA
Gênero: Ficção Científica









Sinopse

Quando seres interplanetários deixam marcas na Terra, a Drª Louise Banks (Amy Adams), uma linguista especialista no assunto, é procurada por militares para traduzir os sinais e desvendar se os alienígenas representam uma ameaça ou não. No entanto, a resposta para todas as perguntas e mistérios pode ameaçar a vida de Louise e a existência de toda a humanidade.


Opinião

Drª Louise Banks é uma linguista numa Universidade e, com o surgimento de 12 grandes naves alienígenas em diferentes pontos do planeta, ela é procurada pelo Exército, de maneira a tentar se comunicar com os extraterrestres e saber o que eles querem na Terra.

A princípio, os diferentes países colaboram uns com os outros, com certas ressalvas, porém com o passar do tempo, como sempre ocorre, as ideias sobre o que deve ser feito em relação aos alienígenas começam a divergir, então a comunicação e colaboração entre países é cessada. Em especial quando Louise declara que identificou a frase “Fornecer arma” por parte dos aliens, chamados de heptapods.

A história é toda construída de uma forma não-linear, e não posso revelar muito mais do que isto sem estragar o filme para quem ainda não assistiu, mas a protagonista é um ser humano bastante especial, apesar de apresentar um desânimo intrínseco à sua personalidade. Tem visões que, ao que tudo indica no começo do longa metragem, são de seu passado, e pode-se dizer que sua missão é unir os povos.

A parceria que ela constrói com Ian Donnelly é bastante produtiva, devido às habilidades deles serem praticamente opostas, mas passa longe de ser romântica (não que eu esteja reclamando, tá?). 

Gostei bastante do longa, mas sabe quando você sente que entra numa sala de aula com menos informações do que deveria para conseguir acompanhar o assunto dado? Foi assim que me senti nesse filme. Confesso que saí com um pouco de dor de cabeça.

Não há o que reclamar dos efeitos visuais, pois estão primorosos. Já a linguagem que vai sendo desvendada não é possível acompanhar, então somos obrigados a acreditar nas descobertas dos personagens e simplesmente aceitar que é assim, sem questionar ou sequer ter tempo de pensar em questionar, pra começo de conversa.

De um modo geral, é um filme bem interessante e que eu recomendaria sem medo para qualquer amante de ficção científica.






Trailer



Nota 



Postado por


Nenhum comentário :

Postar um comentário